Os grandes players de tecnologia da informação estão em uma batalha para ver que consegue mais clientes e até mesmo, convencer o  público que só há um grande fornecedor de produtos ofertados pela nuvem. Eu estou me referindo a Cloud Computing que na verdade é uma terminologia para uma tecnologia que já existia há algum tempo.

Serviços on-demand, o antigo Cloud Computing,  são mais do que essências para manutenção de contratos de outsourcing  e querem dizer o seguinte: Você terá acesso ao recursos computacionais quase que imediatamente já que o seu fornecedor o possui em escala. Simples não ?

O fato é que Cloud Computing simplesmente trouxe a capacidade de você ter os mesmos recursos providos por on-demand, mas por um preço mais baixo porque eles são compartilhados com outras pessoas/empresas na nuvem, quer dizer, na Internet. Um dos problemas disso é que você nunca sabe, de fato, aonde estão os seus dados, pois é vendida a ideia que você não precisa se preocupar com isso.

Agora, qual executivo ou gerente de uma grande empresa vai ficar despreocupado com o local onde ficam armazenados os seus dados ? Difícil e isso ficou mais grave depois da falha que a Amazon teve em algumas de suas farms by cloud.

Para uma empresa de prestação de serviços de TI conseguir prover um serviço by  Cloud Computing, ela precisará dos seguintes ingredientes:

  • Datacenters modernos e espalhados pelos 4 cantos, com baixo consumo de energia e de recursos como mão de obra e licenças de software com preço praticamente a zero.
  • Sistemas heterogêneos que possam atender os diferentes tipos de clientes e suas mais fantásticas necessidades
  • E uma boa e completa planilha financeira para saber como lucrar com toda essa onda de preços cobrados em centavos para os seus recursos.

Essa receita fica complexa quando colocamos mais algumas pitadas de IBM, Amazon, Microsoft, VMware, Cisco, Dell, HP e Oracle. Todas elas desejam vender o mesmo bolo, um serviço by Cloud Computing que consiga atrair novos clientes, mas a pergunta é: essa receita será rentável via Cloud ?

A Amazon diz que sim, mas não deixa claro os seus números, o mercado especula algo acima dos US$ 500 milhões ano, mas nada palpável, até agora. Os outros grandes players estão investindo bilhões e bilhões de dólares nesses últimos dois anos porque o mercado vem dizendo que Cloud Computing é o futuro, não posso discordar disso. O mundo é dinâmico e nada mais justo do que ter uma infraestrutura capaz de acompanhar isso.

Posso afirmar que a minha vida mudou para melhor graças a virtualização, tecnologia base para Cloud Computing, diga-se de passagem. Subir, aumentar, desmontar e criar novos ambientes são tarefas que agora levam poucas horas, no máximo, 3 dias. Isso sem falar no aumento da segurança para implementação de patches e correções.

Em vez de colocar de cara em um um servidor em produção uma nova correção e ter uma amarga e desesperadora surpresa, é só duplicá-lo e testar em seu clone. Funcionou, gere outra cópia de produção e aplique nela, e por fim, transforme-a em ambiente produtivo.  Deu pau, volta com a máquina sem o patch.

Uma outra coisa que ficou clara para mim é que os grandes players precisam de uma infra virtualizada robusta, bem preparada e com uma equipe dedicada. Essa será a base para criação de uma solução de Cloud Computing robusta, mas isso terá um problema, o preço.

Antes, quero dizer, há 4 anos, era fácil vender Cloud Computing, havia poucos concorrentes, onde um preço 40% mais barato que de um hardware físico era negócio fechado para qualquer proposta. Quem trabalhar na área de vendas ou pré-vendas sabe que isso ficou bem no passado.

Houve um outro fato interessante e que ocorreu da metade para o final deste ano, a corrida de profissionais por aprenderem a trabalhar com Cloud Computing. Muitos descobriram que a virtualização é o segredo. Se você sabe o que uma máquina virtual e ou um vswitch, você está apto a mexer com Cloud Computing.

Administradores de sistemas e suporte aprenderam como nunca que saber dimensionar de forma correta um novo ambiente é mais um dos fatores fundamentais para se trabalhar com Cloud.

Não podemos mais ter o luxo de chutarmos uma infraestrutura composta com dezenas de processadores, milhares de gigas de memória e muti, mais muito HD. Isso mudou, pois você poderá gerar um custo desnecessário e no final meus amigos, tudo é avaliado pelo custo.

E vamos ao que interessa: Para mim, a empresa que irá ganhar o seu lugar de destaque no fornecimento de serviços de Cloud Computing para o mercado mundial será a que tiver o melhor custo x benefício e com isso, apresentar aos seus acionistas do final do ano fiscal, uma lucratividade superior a 8%.