Poucas horas após a publicação do post Garoa Hacker Clube passando por problemas ?,  eu me senti como Reinaldo Azevedo no meio de um debate entre PT e PSDB.

Gente, sem o menor  pingo de capacidade analítica, e muito menos interpretativa,  afirmava que eu estava falando merda.  Que o Garoa, assim como diversos outros hackerspaces espalhados pelo país, estavam muito bem obrigado.

Centenas de contribuidores, doadores e pessoas que estavam fazendo a cena hacker do país acontecer.

Eis que hoje, com muita tristeza, li o seguinte post do amigo Anchises – [Cyber Cultura] Quando o espírito de Comunidade falha .

Anchises relata a sua tristeza e insatisfação, por informar que 2 importantes hackerspaces brasileiros enceram as suas atividades por não possuírem participantes, e muito menos dinheiro, para se sustentarem. Ele também deixa clara a sua preocupação com o Garoa, pois este só recebe visitas com um bom número de interessados 1 vez por semana. Às quintas-feiras, para ser mais exato.

Abaixo, vcs poderão ler o conjunto de perguntas que Anchises fez para tentar esclarecer o que vem acontecendo com estes espaços de criação e inovação hacker:

  • Como é possível um hackerspace em São José dos Campos, um dos principais pólos tecnológicos do país, não ter pessoas o suficiente para manter um hackerspace !?
  • Como é possível um hackerspace em Campinas, uma das maiores cidades de São Paulo, cercada por faculdades e empresas de tecnologia, viver as moscas?
  • Como é possível o hackerspace de São Paulo, a maior cidade do Brasil, ficar vazio 6 dias por semana? (isto é, o Garoa só fica cheio de gente as 5as-feiras, nos demais dias da semana geralmente recebemos em torno de 5 pessoas, ou até menos)

Será que falhamos como comunidade? Será que existe mesmo um espírito de comunidade? Estamos prontos para cooperar e participar de atividades comunitárias?

Anchises, atrevo-me a responder as perguntas listadas por vc.

  • Como é possível um hackerspace em São José dos Campos, um dos principais pólos tecnológicos do país, não ter pessoas o suficiente para manter um hackerspace !?
  • Falta de interesse e divulgação. Falta de atividades que fizessem o publico da região se interessar em participar, em conhecer e em contribuir. O ITA fica na região. Alguém tentou uma parceria ?
  • Como é possível um hackerspace em Campinas, uma das maiores cidades de São Paulo, cercada por faculdades e empresas de tecnologia, viver as moscas?
  • – Falta de interesse e divulgação. Falta de atividades que fizessem o publico da região se interessar em participar, em conhecer e em contribuir. A Unicamp fica na região. Alguém tentou uma parceria ?
  • Como é possível o hackerspace de São Paulo, a maior cidade do Brasil, ficar vazio 6 dias por semana? (isto é, o Garoa só fica cheio de gente as 5as-feiras, nos demais dias da semana geralmente recebemos em torno de 5 pessoas, ou até menos)
  • – Falta de interesse e divulgação. Falta de atividades que fizessem o publico da região se interessar em participar, em conhecer e em contribuir. A USP e tantas outras universidades, sejam elas públicas ou privadas, ficam na região. Alguém tentou uma parceria ?

Será que falhamos como comunidade? Será que existe mesmo um espírito de comunidade? Estamos prontos para cooperar e participar de atividades comunitárias?

Sim, infelizmente vcs falharam e caso continuem assim, sem iniciativas, sem uma análise sobre o que o público da região deseja quando o assunto é hacker, além de realizar parcerias, o Garoa também estará fadado ao encerramento de suas atividades.

Desejas colocar a culpa em alguém pelo que vem ocorrendo com estes espaços ? Eu ajudo.

Todos aqueles que me criticaram e não fizeram porra nenhuma para fazer o Garoa ou qualquer outro hackerspace crescer, melhorar e tentar um aumento quanto ao número de participantes ou a realização de parcerias, encabeçam esta lista de responsáveis pelo fracasso.

Muitos dos membros e dos fundadores dos conselhos destes hackerspaces são retrógrados, não respeitam um estado democrático e muito menos entendem de finanças. Criaram ali um pequeno fedeu, um lugar onde ele pode dizer que foi responsável pelo sua fundação, pelas suas regras e por escolher os seus participantes. Depois, decidem aqueles que podem ser elogiados, e algumas vezes, venerados. Exemplo como que ocorre junto ao Richard Stallman em alguns hackerspaces.

Mas esperem. Todas as características listadas acima não remetem a razão social de uma igreja ?

A diferença do hackerspace para igreja é que ele precisa pagar impostos. e o público dele, além de ser menor, pensa da seguinte forma – não vou para lá para louvar alguém ou alguma coisa, eu simplesmente desejo ver algo novo, Me juntar a pessoas que desejam o mesmo que eu, progredir.

Pena, viu..

Anchises, força e fico triste por eu estar certo..