Estive em Luanda, Angola há 5 anos, faz mais de 10 anos que a guerra civil cessou por lá, mas você vê as marcas no rosto das pessoas, nas ruas e nos prédios. Luz, água e telefone ainda são artigos de luxo para boa parte da população que vive em Angola. Luanda é a capital e possui um centro mais desenvolvido, sede de diversas empresas como a Sonangol, maior empresa petrolífera africana (dizem que produz mais petróleo que a nossa Petrobras).

A relação de Angola, Brasil e Portugal pode ser definida da seguinte forma: Portugal é o pai, colonizador, mas com o tempo ficou velho e pobre, os outros países que compõem a união europeia olham de cara feia para Portugal, pois ele não é um grande produtor, exportador ou importador, uma economia mais fraca que países como Inglaterra, França, Dinamarca e Alemanha.

Angola é o filho mais novo, que há pouco tempo sai das asas do pai, mas ainda o respeita. O Brasil é o irmão mais velho, totalmente independente e ídolo de Angola, como todo irmão mais velho. E essa relação você percebe quando há uma pessoa de cada país em uma reunião, Angola e Brasil conversam sem problemas, irmãos, iguais, com os mesmos objetivos, serem vistos pelo mundo, já Portugal, sempre desejando ensinar algo aos seus dois filhos, mas ambos não dão mais ouvidos, pois o pai está descredito pelo mundo.

Angola por possuir recursos financeiros grandes provenientes do petróleo nestas últimas duas décadas, tem passado por uma evolução tecnológica muito grande, vários profissionais de todo mundo, principalmente Brasileiros, vão até Luanda para ministrarem cursos como TCP/IP, Segurança, Windows e Linux, neste último caso, o Adilson Bonan, amigo e escritor dos dois melhores livros para certificação LPI, em minha opinião esteve em Luanda para ministrar cursos Linux focando na certificação LPI utilizando os seus dois livros. Vejam pela foto abaixo:

Acredito que nos próximos anos ouviremos mais sobre as evoluções tecnológicas do continente africano e das pessoas que nele habitam.