Em 1994 o Governo Americano tentou implementar sem sucesso, uma lei que obrigava a todos os provedores de serviço de Internet e telefonia que possuíssem uma backdoor – porta dos fundos, para as agências governamentais dos EUA como CIA, FBI e NSA utilizassem para rastrear “possíveis criminosos”. Era o governo do presidente Bill Clinton, e naquela época a lei não foi aprovada, o governo Clinton foi o que mais investiu em tecnologia, com a criação ode uma série de leis de incentivos e isenção de impostos.

Passados 16 anos, parece que essa lei volta a sombrar a Internet e o motivo que os seus autores estão utilizando para tentar a sua aprovação é o Terrorismo, dizendo que Al Qaeda é uma das células terroristas que mais utilizam criptografia e tecnologias avançadas providas pela internet para o trafego de mensagens entre terroristas.

O FBI nos últimos 2 anos gastou mais US$ 20 milhões no “suporte” a empresas de telecomunicações e de Internet. Quem não se lembra da invasão às 27 empresas americanas por hackers na China?

Dizem que os hackers chineses no caso da invasão dos servidores da Google, utilizaram a backdoor criada para o governo americano, dizem até que era a forma como o NSA utilizava para ler o emails das pessoas investigadas pelo governo americano. Alguém vacilou e os chineses se aproveitaram disso.

Alguns trechos da nova lei para a escuta eletrônica ou, como alguns dizem, sniffer EUA, dizem o seguinte:

  • As empresas que provem comunicação peer-to-peer terão que fornecer formas para que o governo possa capturar parte dos dados ou trechos de comunicação.
  • Toda criptografia criada para o envio ou recebimento de um dado terá o seu código de criptografia fornecida a um órgão governamental dos EUA, para que o mesmo possa descriptografar.
  • Empresas de Internet ou telefonia que possuam operação nos EUA deverão prover conexões diretas a sua infraestrutura junto ao Governo Americano.

Adivinhem quais são as empresas alvo desta nova lei ?

Facebook, Skype, Google, Twitter, Blackberry e empresas de redes sociais, tudo isso criado em prol do bem maior.

O jornal de New York Times fez uma excelente reportagem sobre essa lei, vários sites e blogs especializados em tecnologia da informação descobrirem que há muita coisa por vir devido a essa lei.

Veremos se até o final do ano essa lei será aprovada, bem que com lei ou sem lei o governo americano já analisa os dados de tudo aquilo que fica em solo americano.

Não se esqueçam que mais de 70% dos serviços de Internet que utilizamos hoje são trafegados ou hospedados nos EUA.