Vários jornais e mídias digitais estão replicando as informações passadas pelo governo iraniano quanto a disseminação de um vírus em suas redes jamais visto antes, vírus esse que pela análise da Symantec e de outras empresas especialidades em segurança e na criação de vacinas é o mais bem elaborado e destruidor de todos os tempos.

O Stuxnet, como foi denominado este novo vírus, possui todas as características de ter sido criado exclusivamente para atacar sistemas de computadores voltados ao suporte de industrias no Irã, e principalmente uma base nuclear deste mesmo país.

Especialistas de segurança da informação em todo o mundo acreditam que este vírus foi criado por uma empresa que possui funcionários com alto conhecimento técnico e capacidade de criar uma arma cibernética tão poderosa. Mas, quem teria capacidade e motivo político para isso? Nomes como EUA e Israel emcabeçam a lista, mas nada foi provado até o momento.

O que mais me chama atenção é o espanto do mundo quanto a esse ataque junto às instalações nucleares do Irão, e qual é a diferença do Irão para a Coréia do Sul, já que este último não sofreu nenhum ataque deste tipo (até então ninguém soube)?

Simples, política dinheiro e tecnologia. O Irão possui muito dinheiro devido ao petróleo, apoio político de outros países árabes e tecnologia proveniente de países que estejam dispostos a ensinar, mas por valores bem elevados. Mas nada disso pode evitar um ataque bem preparado e elaborado pro quem pode e sabe fazer.

Há 5 anos que ciber-guerras são travadas a torto e a direita pelo mundo, China vs EUA, Ucrânia vs países que ela não se dá bem, Índia vs Paquistão e assim vai. Se a economia mundial, a saúde e as pessoas possuem dados armazenados em computadores e as informações trafegadas via Internet, por que não atacar o seu inimigo sem disparar um bala, e os danos serem gigantescos ?

Vários governos em todo o mundo estão criando unidades especializadas em ataque e defesa de ciber-guerras, milhões de dólares são gastos com treinamento, pesquisa e na criação de ferramentas capazes de auxiliar estes governos em seus combates virtuais, até o Brasil entrou nessa, em menor escala é claro. Uma coisa eu digo, não é um simples soldado bem treinado que será capaz de iniciar um ataque ou defesa bem sucedidos, a pessoa precisa ter o dom para isso.