Folheio todas as revistas de TI no mercado (difícil achar tempo para ler tanta porcaria que rola por ai), sejam as brasileiras ou as estrangeiras e percebi algo em comum: A grande maioria das propagandas contidas nelas é sobre algum produto provido ou que funcione em  Cloud Computing. É impressionante, até parece que se sua empresa não possui nada que funcione em Cloud, ela estará fora do mercado.

A culpa disso está nos institutos de pesquisa que falam que Cloud Computing é a tecnologia que mais cresce e que mais receberá investimentos nestes próximos anos. Sabemos que o cenário corporativo global é bem diferente. As grandes empresas demoram para migrar seus produtos e serviços de uma determinada tecnologia para outra por cautela.

Acontece que grandes prestadores de serviço de TI como Amazon, IBM, VMware e Microsoft precisam vender o seu peixe e se aproveitam da questão do budget, a grana que é destinada aos departamentos de TI para os trimestres ou quadrimestres. Gerentes e diretores precisam justificar os seus gastos, nada mais justo que utilizar Cloud Computing, uma tecnologia que está na moda e apresenta uma série de benefícios.

Empresas de serviços e grandes Datacenter perceberam isso há algum tempo e gastam milhares de dólares em propaganda dizendo que possuem serviços e produtos que funcionam em Cloud Computing, por sua vez, grandes fabricantes, criam e até mesmo, mudam o nome de alguns produtos para dizer que eles foram desenvolvidos para atender a “grande demanda mundial por Cloud Computing”.

Vários questionamentos quanto a implementação, suporte, reais benefícios e segurança quanto a utilização de Cloud Computing ainda são discutidos por diversos especialistas da área. Não é medo do novo, mas sim de algo que não foi definido claramente.

Eu pessoalmente fico assusto com exemplos como dados pelo fundador e presidente da Oracle, Larry Ellison que disse em 2009 que odiava Cloud Computing, vejam no vídeo abaixo:

Depois disso, ele apareceu na Oracle Open World e disse que a Oracle estava apresentado um produto novo e revolucionário: Oracle em Cloud Computing. Larry Ellison não mudou simplesmente de ideia, ele descobriu que milhares de empresas estão gastando bilhões de dólares por ano nessa nova tecnologia e a Oracle não poderia ficar de fora desta festa.

Devemos analisar, basicamente, um produto por dois fatores:

  • Pelo benefício técnico e o pelo benefício financeiro que ele trará à empresa

Cloud Computing, muitas das vezes, apresenta resultados que traz ambos os benefícios, mas há prós e contras que devem ser analisados.  Passar a preocupação quanto ao crescimento da sua infraestrutura não lhe deixa nem um pouco preocupado?!. Você cresce o quanto e quando quiser !? Alguém tem que pagar o preço disso e esse alguém, em algum momento, será você.

Exemplo disso são as janelas de manutenção agendadas e implementadas de uma hora para outra por grandes empresas como Amazon e RackSpace. Algumas empresas brasileiras já sofreram na pele com uma janela relâmpago e quase perderam boa parte de seus dados. O que lhe resta é executar um backup o quanto ates e rezar para que ele funcione. Esse é um dos problemas em utilizar ambientes compartilhados.

Mas é claro que você terá a possibilidade de comprar um nuvem privada, onde só você poderá utilizar os seus recursos, porém você terá que arcar com os custos dessa exclusividade.

Fico abismado com algumas frases de gestores dizendo que irão migrar todo o seu parque/infra para Amazon ou qualquer outra empresa que venda soluções em Cloud Computing, minha indignação está no fato que este gestor desconhece uma série de cláusulas contratuais para assegurar o seu SLA de 99,9999%. O cliente poderá descobrir um problema tarde de mais.

A minha preocupação está na moda quanto a implementação de um tecnologia ainda pré-adolescente, vem crescendo a sua adoção, mas ainda lhe falta maturidade.