Surgiram diversos cursos, associações e grupos de estudos, auto-proclamados como especialistas quando o assunto é Cloud Computing. Vale lembrar duas coisas a estes indivíduos:

  • Cloud Computing é uma tecnologia que foi, de fato, difundida no mercado há 5 anos
  • E que vc só se torna especialista em uma determinada tecnologia após 10 anos de experiência ou 10.000 horas de trabalho.

Sendo assim, no mercado atual, só a Amazon e a Google possuem o direito de se proclamarem especialistas no assunto – a primeira praticamente criou as ofertas de serviços existentes para as empresas, e a segunda trouxe a tecnologia mais próxima do usuário final. Tudo isso já passou facilmente de 10.000 horas.. 🙂

Aproveitando o ensejo, falo a respeito de cursos focados no mesmo assunto, que é… tcharam…. Cloud Computing…

Eu falo que sou um arquiteto de soluções suportadas em Cloud, focado em IaaS e SaaS, porque implemento, administro e arquiteto estas soluções há 6 anos e não um especialista. Tendo passado cada mau-bocado que vcs nem imaginam.

Hoje a coisa está bem mais fácil. Temos HPCloud, Google Cloud, Gogrid, RackSpace e a conhecida e respeitada Amazon. Fora o capítulo brasileiro da Cloud Computing Alliance, mesmo tendo membros fundadores com experiência quase que nula quando o assunto é colocar a mão na massa em Cloud dentro das empresas.

Aviso:  não é porque vc trabalha com DropBox ou Gmail, que és um especialista em cloud e pode escrever um monte de normas para tal tecnologia. Pior ainda se for só um leitor de artigos.

O conhecimento empírico, quando o assunto é Cloud, foi durante alguns anos, a única forma de aprendizado.

Mas hoje isso mudou, graças a livros, cursos, como o ministrado pelo coruja de ti em parceria com  4bios, e a uma série de artigos, todos eles escritos por pessoas que trabalham e sabem do que estão falando.

O dia a dia de quem trabalha com cloud.

Hoje, um dos maiores desafios que vejo para quem trabalha administrando ambientes suportados em Cloud é o gerenciamento financeiro dos recursos contratados. Isso porque a Amazon e os outros players lhes entregam uma infra quase que ilimitada, mas sem uma torneira, e é aí que mora o problema.

Ambientes de desenvolvimento e pré-produção são os que mais gastam recursos desnecessários. Fora isso, há também o caso do mal dimensionamento de máquinas virtuais, tráfego de rede e, até mesmo, arquitetura.

Por isso que o treinamento realizado por um profissional que já trabalhou em dezenas de projetos e já vivenciou diversos problemas, aumenta e muito a sua curva de aprendizado.

Então antes de falar que alguém manja ou não sobre Cloud, verifique se o profissional já trabalhou com esta tecnologia, implementando, administrando ou arquitetando. E não vale se o cara usa o Dropbox e o Gmail. 🙂