Depois que um colaborador leu o artigo publicado na 4linux e intitulado como aprender segurança de verdade, fui indagado com a seguinte pergunta:

Quer dizer então que caso algum profissional de tecnologia no Brasil siga a risca o artigo, ele não fará nenhum curso para se especializar na área, não obterá certificação alguma e vagas, como as listas abaixo, nunca serão preenchidas ?

A minha resposta foi: Isso mesmo, vc está certo.

Infelizmente, muitos profissionais de segurança vivem em um mundo ilusório e fantasioso, onde acreditam, e piamente, que só a sua filosofia, formas de trabalhar e estudar, que devem ser seguidas por todos no mercado. Eles estão completamente errados, e isso porque quem dita as regras do jogo não somos nós, os profissionais de ti, mas sim as empresas.

Sendo assim, se vc deseja seguir as suas próprias ideias e formas de trabalho, sem consultar o que o mercado está pedido de conhecimentos para o preenchimento de uma vaga em ti, faça serviço comunitário, trabalhe para uma ONG. Mas não com tecnologia.

Treinamentos em segurança

Sim, há dezenas de cursos interessantes e que podemos recomendar em solo brasileiro. Clavis, 4bios e tantas outras empresas ministram estes treinamentos.

Certificações

CEH, certificações SANS, LPI, CISSP* (dependendo da empresa) e de produtos como Check Point e Cisco fazem toda a diferença na hora da contratação.

A fluência no inglês é mais do que um diferencial hoje em dia. É necessidade.

E por fim, e repetindo, análise as vagas de emprego da área que você deseja atuar antes de iniciar os seus estudos. Essa análise que lhe dará uma direção e trará resultados futuros.

P.S.: Eu sigo um ditado passado pelo meu avó que é o seguinte – caso vc venha perguntar sobre investimentos para alguém, não pergunte a um gerente, mas sim para uma pessoa que é milionária. Vejam, que é milionária – presente.

Sendo assim, analise a carreira do arguido antes de iniciar um questionamento, desde do passado até o presente, pois se fosse diferente, todos ainda investiriam o seu dinheiro nas ações das empresas de Eike Batista, não é mesmo.