Ciberguerras não é simplesmente um tema da moda como muitos jornais, revistas e blogs têm dito. O mundo todo está conectado à internet, somos dependentes dela para a realização desde das mais fáceis até as mais complexas operações, e o fato é que graças a Internet, tudo ficou mais simples, como eu mesmo digo: “Depois que foi criado o Google, o Youtube e o Wiipedia, até a minha avó sabe hackear”

A tecnologia empregada para conectar povos e nações melhorou e muito nos últimos cinco anos, exemplo disso são as conexões de fibra ótica, discos de teras e mais teras de espaço em nossas casas e computadores rápidos e inteligentes, menores que um livro.

Só que junto com toda essa maravilha tecnológica, graças a Internet, veio também um novo campo de batalha. Desde dos anos de 1990 que sabemos que verdadeiras batalhas são travadas utilizando bits e bites, e hoje, elas podem derrubar empresas e até mesmo governos, causando prejuízos de milhões e até mesmo de bilhões de dólares.

O excelente Wowebook acaba de liberar para “consulta” o livro Cyber Warfare: Techniques, Tactics and Tools for Security Practitioners, que foi, em minha opinião, muito bem escrito e que reuni uma série de informações bem interessantes como:

  • O que os países tem feito e criado para se defenderem de ciber-ataques.
  • Treinamentos e tecnologias que foram ou que estão sendo criadas.
  • Quais países e governos são os mais preparados, tanto para se defender, mas também como para atacar.

O livro dedicou 7 linhas para falar respectivamente do Brasil o_O, citando que é o GSI é o órgão do governo responsável pela segurança nacional quando o assunto é Internet. Pelas informações que eu tive acesso até hoje sobre o que o governo brasileiro tem feito e as medidas que ele vem adotando para se proteger de uma eventual ciber-guera, eu concluí que nós não estamos preparados para nos defender, ainda. Só espero que estejamos prontos antes da copa e dos jogos olímpicos.

O livro é recomendado para todos aqueles que possuem interesse ou são curiosos pelo o assunto.

Lembrando, gostou, comprou !. Eu já comprei o meu.