Uma série de melhorias foram implementadas na nova versão do Apache HTTPD Server, aquele mesmo que tem mais de 65% do mercado de sites e portais web, vide gráfico abaixo do netcraft.com..

Uma das melhores implementações que foram feitas, em minha opinião, foi quanto a documentação disponibilizada pela fundação para o mod_rewrite – está 100x melhor. Agora, há uma série de exemplos e excelentes explicações de como utilizar variáveis e diversos tipos de expressões regulares.

Mod_rewrite consegue resolver os problemas mais cabeludos, mas mal configurado, ele se torna uma verdadeira dor de cabeça.. Bons estudos…

P.S.monstro.: Já iniciei uma série de projetos de migração e de testes  nesta nova versão do Apache. Por enquanto, tudo funcionando sem grandes problemas e com um detalhes bem interessante, ele está bem rápido.

O que me deixou um tanto preocupado com ele foi a série de declarações feitas à mídia por parte de seus desenvolvedores dizendo que o Apache se tornaria mais performático que o Nginx, servidor web russo que já é o segundo mais utilizado em todo mundo, segundo o mesmo gráfico apresentado acima. Ele, Nginx, passou o IIS da Microsoft.

Vamos convir que o Nginx possui uma abordagem bem diferente do Apache. Ele, o nginx, é focado naquilo que a maioria dos sites de hoje precisam, performance na hora de carregarem o conteúdo estático. Quando você junta o Nginx+Memcached, a coisa fica  mais feia para o Apache. Eu estou falando de um aumento de performance de mais de 400%.

Mesmo com toda essa performance do Nginx e com as combinações Nginx+Memcached ou Nginx+Varnish, o russo (Nginx) conseguirá passar o velho índio. Não podemos esquecer na centena de milhares de módulos que o índio possui e é compatível. Eu acredito e prego a utilização de camadas WEB, onde cada macaco deve ficar no seu calho – Nginx cuida do estático, Varnish ajuda na performance e a controlar alguns ataques (não se esqueçam das regras de segurança dele, security.vcl) e o velho índio, Apache, fala com os servidores aplicacionais e legado.