Neste final de semana termina o horário de verão brasileiro, muitas pessoas estão felizes com essa mudança, outras tristes principalmente aquelas que vivem em regiões litorâneas e todo dia acabando tendo uma horinha a mais para fugir para praia.

Muitas empresas estão montando um verdadeiro exército de profissionais de TI para essa mudança, isso porque muitos sistemas precisam parar ou ter o seu acesso interrompido para que não haja problemas.

Algumas considerações de quem trabalha com viradas de horário de verão há alguns anos:

Oracle e Microsoft dizem que seus bancos de dados não precisam receber nenhuma intervenção, digo parar/shutdown na virada do horário, desde que todos os patches, tanto do sistema operacional como dos bancos de dados, estejam atualizados. O problema está no armazenamento de uma transação bem no período da virada do horário de verão, poucas empresas preveem em seus projetos essa necessidade e a grande maioria dos desenvolvedores esperam que o time de infra tenha alguma solução mágica quanto a isso.

A solução empregada há anos por muitas empresas de outsourcing é simplesmente parar todas as aplicações e bancos de dados no período de volta do horário de verão, isso parece um absurdo, mas acompanhem alguns sites corporativos neste próximo Sábado para Domingo, 19/02 para 20/02, vocês verão que centenas deles estarão fora do ar ou com alguma página escrita: Estamos em manutenção, tente mais tarde

Várias empresas que executam transações em diferentes fusos horários trabalham com arquiteturas que funcionam com várias zonas geográficas ao mesmo tempo, exemplo, aplicações que rodam em JAVA, é possível configurar diversas JVMS em uma mesmo servidor, desde que haja recursos computacionais para isso (memória, CPU, HD), cada JVM poderá rodar em uma zona diferente – GMT+1, GMGT+3, GMT-3 e assim por diante, bancos e instituições financeiras são algumas das empresas que utilizam deste recurso.

Outra tecnologia bem utilizada para auxiliar na mudança do horário de verão é a coexistência de diferentes ambientes em um mesmo servidor, são as máquinas virtuais que fazem isso, com elas é possível configurar uma centena de servidores e realizar todo e qualquer tipo de teste, novamente, desde que haja recursos computacionais disponíveis.

Foi no governo do ex-presidente Lula que ocorreu a padronização das mudanças do horário de verão, há um arquivo único que demorará alguns anos, acredito décadas, para receber uma atualização, antes era um expectativa imensa aguardando uma decisão via diário oficial.

Não há uma solução mágica para o projeto de migração do horário de verão, mas sim planejamento, um de acordo do cliente e um plano de volta. Boa sorte nesta migração.

P.S:. Na hora que eu estava escrevendo este post, 12:15 AM, diversos sites de internet banking estavam com seus sistemas fora do ar, o pessoal deve estar testando a migração 🙂