O pessoal do omelete publicou uma excelente reportagem que explica toda a história que envolveu hackers, sejam eles da Coreia do Norte ou do Brasil – sim, há gente dizendo por aí que tem brasileiro metido na história, e a Sony, uma das maiores fabricantes de hardware e produtora de filmes do universo conhecido.

Nos últimos dias, a Sony Pictures Entertainment, um dos maiores estúdios de Hollywood, foi atacado por um grupo de hackers. A ação desencadeou uma série de revelações bombásticas sobre projetos, atores e envolveu os governos dos Estados Unidos e Coreia do Norte. Nesse artigo feito como uma linha do tempo, o Omelete explica os principais momentos desses acontecimentos, que ainda estão se desenrolando. Caso novidades surjam, atualizaremos a matéria.

24 de novembro

O primeiro sinal do hackeamento surge nos computadores da Sony Pictures Entertainment. Com uma lista de exigências e um aviso de “isso é só o começo”, um grupo de hackers diz ter invadido e conseguido todo o material interno do estúdio – algo em torno de 100 terabytes. A imagem que eles usaram para se identificar foi a de uma caveira sombreada de vermelho e o nome “Guardiões da Paz”. A primeira atitude da Sony, após confirmar a invasão, foi desativar todos os seus computadores.

27 de novembro

Após alguns dias sem notícias dos hackers, mas ainda trabalhando sem computadores, a Sony vê cinco filmes seus serem colocados para download ilegalmente – entre eles, quatro que nunca havia sido lançados, o único que estava no cinema era Corações de Ferro, com Brad Pitt. Os outros foram Annie, To Write Love On Her Arms, Still Alice e Mr. Turner.

28 de novembro

Surgem os primeiros boatos de que o ataque pode ter vindo da Coreia do Norte, em uma espécie de retaliação ao filme A Entrevista, em que Seth Rogen e James Franco se envolvem na tentativa de assassinato do líder de estado do país, Kim Jong-un. Um site de notícias do local, inclusive, chama o longa de um “ato cruel de provocação”.

1 de dezembro

Os hackers divulgam o salário dos grandes executivos da Sony, além do contra-cheque de outros seis mil funcionários. O estúdio começa a colaborar com o FBI para investigar a causa do ataque e sua fonte. Até aqui, todos os computadores da empresa continuam offline.

3 de dezembro

Os primeiros documentos relacionados à produções do estúdio começam a surgir, entre eles passaportes e vistos de atores, produtores e diretores que trabalham por lá. Angelina Jolie e Jonah Hill estão entre eles. Além disso, vários emails de funcionários da Sony são divulgados e muitos deles fazem críticas negativas aos filmes de Adam Sandler, um dos atores mais lucrativos do estúdio.

4 de dezembro

Em reportagem, a Associated Press diz ter uma fonte segura, especializada em segurança digital, que diz observar muitas semelhanças entre o hack na Sony e os hacks feitos pela Coreia do Norte no governo da Coreia do Sul. Em seguida, o grupo solta um comunicado ameaçando os funcionários da empresa, dizendo que machucaria a família deles caso eles não repudiassem a empresa publicamente.

7 de dezembro

Após um monólogo de James Franco no Saturday Night Live, em que o ator brinca com o hack e a liberação de informações especiais, o governo da Coreia do Norte nega qualquer tipo de envolvimento com o acontecido.

8 de dezembro

Os Guardiões da Paz dizem não ter mandado um comunicado com as ameaças aos funcionários da Sony. A mesma carta pede para a Sony “parar de incentivar o terrorismo, pois ele pode acabar com a paz e causar guerra”.

9 de dezembro

Os emails de Amy Pascal, executiva de alto escalão da Sony, são revelados e ficam marcados pelas discussões sobre o filme de Steve Jobs e também à atriz e cineasta Angelina Jolie, chamada de “uma mimada sem talento” por Scott Rudin, produtor do estúdio.

10 de dezembro

Novos emails de Pascal, dessa vez conversando com o produtor Scott Rudin, fala sobre os filmes preferidos do presidente Obama. Uma série de críticas raciais em torno da executiva começa a surgir na imprensa americana.

11 de dezembro

O filme A Entrevista é exibido em Los Angeles e Seth Rogen agradece à Amy Pascal por ter “a coragem de lançar o filme”. Emails vazados revelam que a Sony planejou um crossover entre Homens de Preto e Anjos da Lei.

12 de dezembro

Emails entre Sony e Marvel comprovam negociação sobre os direitos do Homem-Aranha no cinema, e a possibilidade do herói aparecer em Os Vingadores, saiba mais. Além disso, um projeto da Sony com o Super Mario no cinema também aparece.

14 de dezembro

Um roteiro preliminar de Spectre, novo filme de James Bond, é revelado pelos hackers. Sony e MGM se manifestam dizendo que procurarão mais meios de impedir e se proteger do ataque. Saiba mais sobre o novo filme do 007. Em outro emails, Amy Pascal diz que Idris Elba é um de seus preferidos para viver o agente secreto.

15 de dezembro

As primeiras críticas à imprensa americana começam a surgir. Aaron Sorkin, roteirista de A Rede Social, é um dos maiores críticos. “Os jornalistas estão agindo como os hackers”, chegou a dizer o escritor.

16 de dezembro

Os hackers mandam um email para vários repórteres ameaçando atacar os cinemas que exibirem A Entrevista. “O mundo vai lembrar do 11 de setembro”, dizia o comunicado. A Sony cancela a turnê de divulgação do filme e reagenda a estreia para o dia 25 de dezembro.

Emails revelam a intenção da Sony em fazer um reboot feminino de Caça-Fantasmas com Jennifer Lawrence como protagonista e Peter Dinklage como vilão.

17 de dezembro

A Sony decide cancelar o lançamento de A Entrevista para o Natal devido às inúmeras ameaças que sofreu nos últimos dias. Todos os anúncios de TV do filme são tirados do ar. Ao mesmo tempo, a New Regency cancela a produção de Pyongyang, um thriller na Coreia do Norte que teria Steve Carrell no elenco e seria produzido por Gore Verbinski – saiba mais.

18 de dezembro

A Casa Branca se envolve no processo. O secretário de imprensa do governo, Josh Earnest, diz que o presidente e toda equipe estão tratando o assunto como algo de “segurança nacional”. Nesse mesmo dia, George Clooney revela ter distribuído uma carta de apoio à Sony dentro de Hollywood, mas nenhum grande executivo assinou a favor. “Nossa indústria está em uma situação complicada”, disse o ator, se referindo ao medo dos executivos em se comprometer com a causa de um só estúdio. Em seu depoimento, o ator ainda diz que Pascal gostaria de cancelar o lançamento de A Entrevista, mas que ele era completamente contra. “Não podemos deixar Jong-un ou qualquer outra pessoa dizer o que podemos ou não assistir”, escreveu o ator.

19 de dezembro

O FBI confirma publicamente que o governo da Coreia do Norte está por trás da invasão. Em sua entrevista de fim de ano, Barack Obama se mostra totalmente contra o cancelamento da estreia de A Entrevista. “Se um sujeito nos ameaça por causa de um filme satírico, imagine o que ele fará com um documentário sobre coisas que eles não gostam”, discursou o presidente. Michael Lynton, o CEO da Sony Pictures, diz que a decisão do cancelamento se deu pela recusa dos cinemas americanos em exibir o filme. “Não tivemos o que fazer”, disse.

20 de dezembro

A Coreia do Norte nega qualquer envolvimento na invasão, convida os EUA a fazer uma investigação conjunta sobre o acontecido e ainda ameaça o país caso ele queria “se vingar”.

Mais emails vazados mostram que o filme de Uncharted, game do PlayStation, deve ter Mark Wahlberg no papel principal.

21 de dezembro

O governo da Coreia do Norte diz que os EUA estão por trás da produção de A Entrevista e ameaça atacar a Casa Branca, o Pentágono e as forças dos EUA – a motivação principal foi a declaração de Obama ao dizer que os EUA responderia a invasão à Sony na mesma proporção.

22 de dezembro

O governo dos EUA convida a Coreia do Norte a colaborar com a investigação, caso admita a invasão, pois “a nação tem um histórico de negar suas atitudes destrutivas”. Contrariada com as acusações, a liderança da Coreia do Norte no Conselho de Segurança da ONU deixa a reunião que discutiria Direitos Humanos. Mais tarde, reportagens calculam que o prejuízo da Sony com o ataque pode chegar a US$ 100 milhões.

Mais emails hackeados mostram as apostas da Sony para o filme do Sexteto Sinistro, que reunirá vários vilões do Homem-Aranha. Channing Tatum seria a escolha para ser Venom – saiba mais.

23 de dezembro

A Sony volta atrás e decide lançar A Entrevista no dia 25 de dezembro. “Nós nunca desistimos e agora o filme estará disponível para quem quiser assistir”, declarou o CEO do estúdio, Michael Lyton. James Franco comemora no Twitter: “Vitória! O povo e o presidente falaram! Espero que gostem do filme!”

24 de dezembro

A Sony confirma o lançamento de A Entrevista em serviços de streaming como YouTube Movies, Xbox Live e PlayStation Network – saiba mais.

25 de dezembro

A Entrevista é lançado nos cinemas americanos.