A revista Wired deste mês trás uma reportagem exclusiva sobre o que o governo americano vem criando para monitorar a Internet. A NSA, agência americana focada em segurança e que durante décadas foi negada a sua existência, hoje é responsável por monitorar boa parte, se não, quase tudo que das vidas dos americanos. Estou falando de ligações telefônicas e é claro, o ciberespaço.

No ano passado já se especulava sobre o motivo pelo qual a agência em questão estava investindo rios de dinheiro na aquisição de um storage com capacidade Yotta – veja na tabela abaixo, que foi retirada do wikipédia, explicando o que significa um storage com capacidade Yotta — dá para colocar muita música e conteúdo adulto nele:

A Wired conseguiu informações exclusivas e bem interessantes quanto ao datacenter da NSA que está sendo construído no estado do UTAH/EUA e que tem um custo de US$ 2 bilhões. Este novo complexo, vejam pelas fotos abaixo, será o gerenciador de toda a informação coletada pelos outros centros de dados da NSA, e pelo que entendi até agora, ele será o responsável pela análise dos dados.

Os EUA já está na casa dos 400 milhões de habitantes. A quantidade de dados gerados por estas pessoas a cada segundo é alarmante. O governo sabe disso e muito bem. Somado a isso, coloque aí os seus inimigos do outro lado do mundo. Já deu para imaginar a quantidade de dados que os EUA precisa analisar a cada instante.. ?!

O problema disso tudo é a invasão de privacidade que isso gera. Ela é sem limites e sem fins. Já era ruim antes do 11 de setembro, depois com o ato patriótico, ela ficou pior ainda.

“The NSA has become the largest, most covert, and potentially most intrusive intelligence agency ever” é uma frase que não é novidade para ninguém. Sabemos que governos utilizam-se de todos os meios para garantirem a sua soberania e controlar a informação é a melhor forma de exercer isso.

A imagem acima dá detalhes quanto o que é e faz cada prédio do novo complexo de ciberespionagem que está sendo mutando no estado do UTAH/EUA pela NSA.

A imagem acima já demonstra todos os centros da NSA existentes e como será, a partir de setembro de 2013, quando este novo complexo de UTAH for entregue.

Focando mais no lado de TI, o pessoal que projetou este complexo passou algumas informações bem interessantes:

Toda a rede do complexo será 10Gibabit, o que me remete a seguinte pergunta “Isso será suficiente ?”. Galera, já há equipamentos que falam 40Gigabit/s e até mesmo 100Gigabit/s. Para tratar uma massa de dados como essa eu partiria para o que há de melhor em tecnologia. 10Gigabit já dá para ter em casa 🙂

Quando o assunto é performance de disco, hoje eu não vejo outra alternativa que não seja utilizar SSDs. São os mais rápidos, mas infelizmente a densidade não passou dos 480GB, até agora.

A reportagem fala e muito em poder de processamento e até deixa de forma subentendida que o governo americano poderá criar o computador/cluster mais rápido do mundo em UTAH. Eu acredito que isso será feito e é necessário. Os EUA precisará e rápido de um alto poder de processamento e de forma escalável. Não se esqueçam que estamos mais do que duplicando a quantidade de dados gerados a cada ano 🙂

Eu só fico imaginando a quantidade e o tipo de informação que o governo americano tem acesso. Depois o pessoal fala que deep web é balela.

P.S.: Eu sempre me assusto com algumas estimativas quanto ao crescimento do tráfico de internet que será gerado nos próximos anos. Vejam que a Cisco diz que ele será quadriplicado até 2015, chegando aos 966 exabytes por ano. 🙂