Conselheiros do governo norte americano defendem a aprovação de uma Lei que tem como objetivo: Desligar a Internet em casos de ataques terroristas, no caso, ciber-terroristas.come

É de conhecimento de vários profissionais de segurança da informação que a rede de dados americana, sofre e muito, ciber-ataques todos os dias. Vários deles são maus sucedidos, mas quando funcionam, causam sérios danos. Quem não se lembra do ataque chinês cometido em mais de 20 empresas no ano passado ?!

O governo americano não está errado em se preocupar, mas chegar ao ponto de desligar o acesso à Internet no continente é demais. O fato é que muitos órgãos governamentais dos EUA possuem redes e computadores pre-históricos. Exemplo disso é que o ônibus espacial, o qual está se aposentando, ainda funciona com disquetes “5 1/4”.

No ano passado, saiu uma reportagem no The New York Times que falava sobre a fragilidade das redes de dados que ligam diversos órgãos governamentais dos EUA. Havia casos de redes entre usinas nucleares serem completamente desprotegidas.

Há um projeto sendo tocado nos EUA que tem como objetivo centralizar todos os datacenters do governo, além de dar um belo upgrade na rede de dados, pois foi descoberto que boa parte destes datacenters possuem funções redundantes. O projeto tem fundamento, mas não tem recursos, daí a necessidade de migrarem boa parte de seus serviços para Cloud Computing.

Um ponto importante e que eu preciso mencionar é que se o governo dos EUA resolver, um dia, desligar o acesso à Internet, mesmo que seja de uma determinada região ou rede, milhões de usuários em todo o globo serão afetados, já que a maioria dos serviços e servidores acessados em todo o mundo ficam hospedados em solo americano.

Tecnicamente, executar este tipo de operação não é tão simples, isso porque há uma série de redes de fibra óticas, redundantes, que garantem o tráfego de dados nos EUA, bem diferente dos países do oriente médio.

Vamos aguardar as cenas dos próximos capítulos.