Lendo uma notícia da Folha de São Paulo, onde em um debate foi discutido o futuro do jornal, eu percebo que os antropólogos brasileiros e donos de jornais não tem a mínima noção do que está acontecendo com o mundo neste momento. Me refiro a digitalização e a propagação da informação que a humanidade nunca imaginou que iria acontecer.

Vamos falar de alguns dados: Segundo as últimas projeções divulgadas pelos institutos Gartner, Ovum, Informa e Yankee Group, a renda das empresas tradicionais de telecomunicações crescerá 10,7% entre 2010 e 2014. No entanto, o tráfego de dados, que no ano passado esteve noss 20 Exabytes mensais, chegará em 2015 com 86,5 Exabytes, aumento de 324%. Um Exabyte equivale a 1024 Petabytes, e um Petabyte equivale a 1024 Terabytes – caso vocês não saibam.

A venda de IPADs já ultrapassou a venda de computadores e notebooks em vários países, não é modismo e sim uma nova forma de se acessar a informação, que está ali, disponível em poucos toques e bem barata.

Nesse último ano, houve uma febre por parte de todas as grandes editoras para a inserção de seus produtos – revistas e jornais – nos tablets em todo o mundo. No lançamento de uma nova edição sempre vinha na capa, agora para IPAD.

Fale com qualquer adolescente, entre os seus 12-16 anos, pergunte se ele lê jornal ou revista impressa, a resposta é não. Para eles, o twitter é uma coisa chata e o Facebook é fantástico. Por isso que acredito que o Twitter tem grandes chances de morrer e o Facebook de se tornar uma das maiores ferramentas de comunicação do planeta.

Com tudo isso, ainda tem jornalista, antropólogo e dono de editora achando que o jornal e a revista existirão da mesma forma daqui a 5 anos ?!

E os blogs ? Bem, isso é um caso a parte. Em uma conversa com um grupo de 200 adolescentes de uma escola de classe média alta em SP, 30 deles disseram que possuem blogs e o restante disse que lê blog constantemente. Eles falam que os blogs são um informa de acessar a informação condensadamente e ver aquilo que lhes interessa.

Quanto a televisão. Já disse na semana passada que não há TV de LED ou Plasma sendo vendida no Brasil que não acesse Facebook, Youtube ou Internet.

O mundo mudou por cauda da Internet e não serão os jornais e revistas que irão criar uma resistência. Eles precisam mudar e rápido.