Essa é a pergunta que faço à todos os candidatos à vaga de analista sênior onde trabalho – Você é sênior ou especialista neste assunto ?

A diferença entre estes dois cargos está no tempo de experiência e na quantidade de problemas que o profissional vivenciou, mas há exceções. Profissionais que trabalham em grandes empresas de telecom têm um grau maior de conhecimento devido ao stress envolvido para suportar uma operação desse tamanho, e com um detalhe muito importante – eles se tornam seniores em menos tempo.

Profissionais que trabalham em ambientes com alto grau de criticidade como telecom e mercado financeiro possuem uma carga horária muito maior, por este motivo, eles vivenciam mais problemas que os de mais – e aí que entra a velha e célebre frase – só o stress constrói…

Posso dizer que me tornei um especialista em suporte e arquitetura de servidores web e aplicacionais depois de ter trabalhado com diversas versões e em diversos cenários e empresas, com um detalhe muito importante – eu sempre me ferro em alguma folha de mudanças ou aplicação de correção – não é praga, mas sim carma..

Quantas vezes já me deparei com aquele mudança onde o desenvolvedor dizia “é só fazer o deploy deste pacote e dar um restart na JVM. Coisa simples” — uhum — batata que ia dar merda, e dava..

No meio de tantos problemas e soluções, você acaba adquirindo um conhecimento que poucos possuem, o prático. Saindo da teoria de livros, papers e palestras, e indo para o que importa no final das contas, se você sabe colocar este treco para funcionar ou não, e no final das contas, meus amigos, é isso que importa para a sua empresa e para o seu chefe.

Eu aprendi com um antigo chefe a seguinte frase “Eu não preciso justificar para lhe demitir, mas para lhe ter aqui. “

Devido a essa convivência com problemas e soluções, eu acabei ficando chato na hora de escolher cursos para me aperfeiçoar. Dou mais valor ao conhecimento que o profissional possui do que ao material que ele utilizará para ministrar a aula, até porque eu posso baixá-lo e lê-lo sentado no parque do Ibirapuera.

Nada substitui a experiência prática e o conhecimento empírico, em minha opinião, e é por este motivo que estou montando alguns treinamentos à distância, baseando-me no material que acabei criando e utilizando para ministrar aulas para galera que trabalhou ou que ainda trabalha comigo. Sem muito blah, blah, blah, colocando de fato, mais de 12 anos de prático e madrugadas mal dormidas em empresas como IBM, Atos Origin, GM, Sprint, Telecom Itália, Nextel e tantas outras.

Uma coisa que eu acabei lembrando no final deste post foi uma reportagem que  li a respeito de um jornalista que se tornou especialista em um determinado assunto, diga-se de passagem que não tem nada haver com a sua formação acadêmica, só porque ele ficou estudando e pesquisando aquilo como hobby por 10 anos.. Mas para mim, o mais interessante é que percebo que a cada dia eu preciso estudar, ler, ouvir e aprender mais. Parece um vício, mas nada verdade é uma necessidade em tentar preencher algo, um vazio…

Quanto mais eu leio, mais eu aprendo que não sei nada..