Estou recebendo uma saraivada de mensagens e emails dizendo que  não sou humildade. Eu sinceramente gostaria de saber de onde saiu essa impressão ?

Gente, montei o blog para compartilhar conhecimento, trocar experiências e o mais importante, tentar ajudar a galera que está começando na área.

Conhecimento deixou de ser uma moeda de troca ou algo inestimável e muito difícil de se compartilhar, e isso tudo mudou graças ao Google, Youtube, Wikipédia e aos milhões de livros que existem para serem baixados. Deixei sempre claro que irei compartilhar tudo isso no blog para que todos possam estudar e aprender cada vez mais. Você, eu, o seu colega do trabalho possuem o mesmo objetivo, aprender e principalmente quando o assunto é tecnologia.

Tive três grandes preocupações quando planejei o Web Security Forum:

  1. Fazer um evento bem legal e com um valor acessível – O ingresso saiu por um pouco mais do que R$ 150,00 – tivemos 2 coffee breaks e duas refeições/almoços inclusos no valor do ingresso.
  2. Palestrantes de peso e que pudessem transmitir conhecimento
  3. Brindes e cursos que fossem sorteados à todos os participantes, e isso, meus amigos, eu tenho orgulho de falar para os 4 cantos, foram mais de R$ 200.000,00 sorteados – Bolsas de pós-graduação, graduação, cursos e livros. Assistiam os vídeos no youtube e vocês verão do que eu estou falando.

Uma das coisas que mais gosto de fazer é falar com estudantes universitários, uma galera que está louca para aprender e que sempre dá ouvidos a qualquer um que deseje passar um pouco de conhecimento.

Este ano, eu falei em 12 faculdades, com mais de 10.000 estudantes que tinham o mesmo objetivo, aprender. Mas uma coisa que cansei de ouvir foi oque os grandes nomes da tecnologia da informação do nosso país não têm tempo para falar com eles, e quando têm, cobram caro por uma palestra. Poxa, cobrar para palestrar para estudante é dose. Eu, no máximo, cobrei os custos de viagem para cidades fora de SP/Capital, gasolina e pedágio e mais nada.

Tenho o maior prazer de responder, quando arrumo tempo, os milhares de emails, dicas e revisão de TCCs da galera, e olha que eu ainda trabalho igual um louco e tomo cada esporro por atrasar alguns prazos por ajudar gente que nem conheço, mas vale a pena, no final, acabo aprendendo coisas novas, ouvindo ideias e trocando experiências.

Eu acho interessante essa ideia, baseado na crença religiosa (entenda-se catolicismo e evangelismo), que todas as pessoas devem ser humildades, mas poucos pessoas entendem ou sabem qual é o real significado desta palavra. Isso nos remete ao dicionário:

humilde
(derivação regressiva de humildar)

adj. 2 g.
1. Que tem humildade.
2. Simples, modesto.
3. Obscuro, pobre.
4. Medíocre, baixo.
s. 2 g.
5. Pessoa humilde.

Baseando-se no esclarecimento acima, eu posso afirmar que:

Sou simples, mas não modesto. Tenho orgulho das minhas realizações as quais foram difíceis de serem alcançadas e muitas delas sem ajuda de ninguém. Não sou em nada obscuro, busco compartilhar o conhecimento.
Nada pobre, pois consegui um bom emprego graças ao meu suor e esforço. Não sou medíocre e de longe baixo, tenho 1.83m de altura :), falando sério, sempre tento compartilhar algo que eu ache proveitoso.

E o mais importante: Respeito opinião, credo e as pessoas, mas posso simplesmente não concordar e é isso que faço no blog.

É simples falar mal de alguém se escondendo atrás de um perfil fake, mas antes de começar os seus fantásticos ataques, pesquise para saber se a pessoa que você quer atacar não já ajudou uma porrada de gente gastando do seu próprio bolso.. 🙂

Uma das melhores citações que já encontrei sobre a diferença entre autoconfiança e arrogância:

Quando não se conhece a pessoa, sim, é verdade, a sua autoconfiança pode ser confundida com a arrogância. Já quando se conhece melhor ,é possível visualizar uma grande distância entre tais características. Uma diferença bem explícita entre alguém autoconfiante e alguém arrogante é que o auto confiante sempre vê em sua força a oportunidade de compartilhar algo de bom, enquanto o arrogante usa sua “força” somente para se destacar dos demais, sem ao menos se importar com o bem estar comum.