Os meus amigos dizem que possuo mana, energia, força acumulada há pelos menos 200 anos. Assumo, sou hiperativo ao cubo, e gosto disso, de toda essa energia, de todo esse poder de fazer as coisas sem ficar cansado.

O problema é listar mil coisas para fazer e não terminar nenhuma delas. Para tentar resolver este problema, eu criei uma lista de afazeres, subdividida em prioridades, necessidades e com prazos estabelecidos, e que em hipótese alguma poderão ser alterados.

Ora bolas, tenho uma excelente memória, uma puta energia, e porque não coloco em prática tudo aquilo que tenho listado e objetivado para minha vida, para minha carreira ?

Fácil, não é ? Porra nenhuma, pois a partir desta lista que descobri o maior de todos os meus problemas, a procrastinação. A vontade louca e insana de deixar tudo, mais tudo mesmo para última hora. Mais que merda viu..

Não sei quantos de vcs sofrem disso, mas posso dizer que não desejo isso para ninguém.. Nem para o meu pior inimigo. (só um adendo quanto a este ponto. Sou fã de Oscar Wilde e ele possui uma das melhores frases, que é “Devem-se escolher os amigos pela beleza, os conhecidos pelo caráter e os inimigos pela inteligência.”)

Voltando ao foco deste texto – estão vendo do que eu estou falando..

Cursos, livros, trabalhos acadêmicos, avaliações e a penca de livros estão lá, todos listados para serem escritos, lidos, revisados e tratados, mas nada é iniciado e nem tocado… booooooossssssttttttaaaaaa….

Para vcs terem uma ideia como a coisa ficou séria, o editor e dono da editora para qual assinei os contratos para publicação dos meus livros, foi até SP e almoçou comigo, tudo com o pretexto de colocar o papo em dia.

No final das contas, o que ele queria mesmo era dar um puxão de orelha e dizer – vcs tem energia para um milhão se coisas, escreve blog, revisa livros, zoa com todo mundo, pedala e faz um monte de coisa, mas nada de produtivo para sua carreira, e que daqui há 5 anos poderá se perguntar – Aquele adolescente cheio de ideias, pensamentos e textos terá orgulho do que vc é hoje ?

Claro que não. Porra, não executo nada daquilo que me programei para fazer, até o blog já sofreu com isso. E pior, tenho a estúpida mania de me auto-sabotar.

Procurei ajuda especializada e de uma grande amiga que estudou comigo. Ela seguiu a psiquiatria, enquanto eu fiquei na ciência de estudar as doenças que afetam os nossos neurônios, sistema nervoso parassimpático e afins – sim, estudo isso e poucos sabem disso. Mas isso é uma história para um outro post.

Ela iniciou um trabalho bem interessante e que vem funcionando comigo, listou tudo aquilo que gosto e o que não gosto de fazer, seja lazer, prazer, trabalho, leitura. Resumindo, tudo. Depois, começou o processo de mapeamento dos pontos em que uso a procrastinação ao cubo e vou descendo até picos um tanto que aceitáveis (uma nota importante quanto a isso, o meu objetivo é eliminar e de uma vez por todas essa porra da procrastinação, que isso fique bem claro… voltando ao que eu estava dizendo)..

Tudo beleza e mapeado até aí. Daí, ela tocou em um ponto que eu não achava tão importante, para ser mais exato, um ponto que para mim é comum a todos, o trabalho.

Juro para vcs que eu me achava, até então, um cara bem sucedido profissionalmente. Ora bolas, trabalhei em algumas das maiores empresas de TI que conheço. Viajei um bocado e me dou o luxo, sim, eu acho isso um puta luxo, de trabalhar com o que e com quem eu gosto.

Mas depois de falar com essa amiga e puta profissional, eu vi que estava totalmente errado.

Vejam que não vi isso como algo ruim, como uma frustração que demonstrava que estou ou estava no caminho errado, mas sim que preciso ver as coisas a partir de diferentes pontos de vistos, e que estes não podem, em hipótese alguma, serem os meus. Difícil de fazer, mas precisamos, caso contrário, não progrediremos..

Para minha sorte, ela conseguiu me demonstrar que o meu atual emprego está seguindo uma linha do que gosto de fazer, de estudar, e que isso poderá acarretar em um crescimento profissional bem interessante. Poderá porque dependerá 100% de mim para isso acontecer.

Vejam, para mim motivação depende 100% de vc, e não das empresas, pessoas, cursos ou qualquer outra coisa que está ao seu redor. Só vc pode crescer e correr atrás disso, do seus sonhos. As pessoas, as empresas, o seu redor podem lhe auxiliar à fazer tudo isso, mas no final, tudo será concluído de acordo com o seu esforço.

Legal, trabalho, quero dizer, parte da vida profissional com um rumo mais ou menos aprumado, até porque jogo na mega-sena e acredito que tudo possa mudar do dia para noite, vamos para o próximo passo – melhorar isso e, de fato, executar as pendências, mas com ajuda, é claro..

Aí que o bicho pegou.. Putz, levei 5 cadernos com anotações, ideias, cálculos, trabalhos sem conclusão, livros sem revisão para ela analisar, para ver em que ponto eu havia estagnado, para ser mais exato, procrastinado.

Sabem o que ela fez com tudo isso ? Juntou, guardou em um armário e disse. Volte daqui a 5 dias, pense no que eu fiz e naquilo, que de fato, vc deseja fazer, terminar. Daí, juntos, trabalharemos para isso acontecer.

Porra, vc pega todos os meus filhos, sonhos e afazeres, e acha que um hiperativo não ficará pensando 24 horas por dia sobre aquilo que está guardado em seu armário ?

Ela respondeu que sim e que sabia de tudo isso, mas que precisa começar a adestrar o meu cérebro, a reprogramá-lo para atividades que gerassem algum resultado e que fosse de encontro com aquilo que fosse benéfico para mim…. hummm… interessante. Poxa, eu estudo reprogramação cerebral há 4 anos e nunca apliquei em mim. (já apliquei em vários amigos, devo confessar.. hehehe)

Ago de engraçado aconteceu. Foram 10 dias para que eu conseguisse chegar com uma resposta para ela e não 5. hehehe… Claro que ela ficou puta da vida e disse que a minha cabeça é muito, mais muito teimosa. Tive que puxar algo da minha mãe…

Bom, a primeira coisa que comecei a fazer foi voltar a escrever no blog. A segunda foi focar nos treinamentos, a terceira foi voltar com a escrita dos livros, e consequentemente, dos artigos científicos, já que muitos deles se entrelaçam em ideias, loucuras e objetivos.

Mas já aviso para os leitores que este só foi o primeiro passo para o fim da minha procrastinação. Só espero não levar meio século para finalizá-lo, pois até lá, quem sabe eu já não ganhei na mega-sena….

Opa, já ia me esquecendo. Uma das coisas que vêm me ajudado, e muito, é a leitura de livros e assuntos que não tem nada haver com o meu dia a dia. Filosofia, literatura francesa, inglesa e americana são extensas, cansativas e ajudam o sono a chegar mais rápido, e é claro, escrever um resumo para tentar por um fim ao nosso analfabetismo funcional..