Mais um vez, o site da Gol, uma das empresas áreas líderes do seguimento, está fora do ar. A explicação é bem simples a infra não aguentou a campanha de marketing…

Hoje, há tantos recursos de análise de dados web que dizer que não tem como mensurar a quantidade de acessos simultâneos é coisa do passado, e bota passado nisso. Google Analytics, awsstats, pingdon e tantas outras ferramentas fazem este serviço, algumas de graça, e muito bem.

E aí, como resolver este problema, a queda de um site, e como consequência, a não venda do seu principal produto ?

A resposta não é a das mais simples, pois ela depende de três importantes fatores:

  • Planejamento entre os times de marketing e infraestrutura
  • Arquitetura do ambiente web adequada a campanhas de marketing deste tamanho
  • Recursos financeiros disponíveis para um redimensionamento rápido e adequado neste tipo de  situação.

Não podemos nos esquecer que boa parte dos acessos ao site, cerca de 70%, são originados de curiosos, que infelizmente consumem importantes recursos computacionais da infraestrutura da empresa, só para saber o custo de uma passagem do destino x para o y, sem ao menos possuir dinheiro para pagá-la.

Neste caso, o jeito é aumentar a infra como um todo. Quero dizer, aumentar a quantidade de servidores de cache, web server, aplicacionais e banco de dados. Utilizar CDNs para fornecer todos os recursos estáticos e otimizar ao máximo a navegação.

Falar que os recursos computacionais suportados na nuvem, ou melhor, em cloud computing, atenderiam e muito esta empresa, não deixando-a passar por este tipo de situação. Infelizmente não é tão simples assim.

Posso lhes adiantar que boa parte de toda a infraestrutura teria, obrigatoriamente, estar na mesma infra by cloud, para diminuir assim a latência  de rede.

Menos blah, blah, blah, vamos à prática:

Eu faria a arquitetura da gol distribuída em 3 ou mais infras distintas e dividia em camadas, deste jeito:

  • Primeira camada cache de tudo que for estático e distribuído, em duas ou mais redes e/ou provedores – Varnish na cabeça com Digital Ocean / RackSpace ou a cara Amazon.
  • Segunda Camada – servidores Web – Apache mesmo, já que eu saiba, a gol trabalha com WebLogic. (Ainda não existe plugin de comunicação entre Nginx e o WebLogic.)
  • Terceira Camada – servidores JAVA + cache, mais muito cache. Aí, meus amigos, a quantidade de servidores aplicacionais java seria uma coisa de louco. Estou falando de mais de 70 JVMS para atender uma demanda tão grande.
  • Quarta e última camada, sem conhecer com profundidade a infra da gol – banco  de dados dedicado para este momento, a venda de passagens promocionais. Restando uma outra infra, composta por web, java e banco, só para atender o restante dos clientes.

Isso é só uma sugestão, não quer dizer que ela possa mitigar os problemas que a empresa Gol esteja passando, mas pode ajudar e muito. 🙂

P.S.: Serei bem sincero com vcs, mesmo trabalhando com JAVA há anos. Eu acredito que este tipo de campanha deveria funcionar com php ou ruby, isso devido a performance se melhor. Isso é só uma ideia que passou agora, em minha cabeça.

P.S.S.: Muita gente deve saber que a Gol utiliza o BIG-IP, um dos melhores e mais avançados balanceadores de carga e servidores de cache do mercado. O problema é que o Varnish, servidor de Cache opensource, possui uma performance muito melhor do que ele. 🙂 Se for para ter um balanceador de carga, eu utilizaria o da RackSpace, tendo o Varnish como front-end estático, quero dizer, cache de tudo que for estático.