Ontem, 01/12/2010, em uma reunião realizada no Fogo de Chão Moema, em São Paulo – SP, os maiores players do mercado de hospedagem do Brasil se reuniram para discutir a criação de uma associação e votar as ideias iniciais. A reunião tinha sido combinada no início de novembro pelos membros do HostsBrasil, movimento que surgiu a pouco tempo para defender o mercado de hospedagem no Brasil, e agora será transformado na Associação Brasileira dos Provedores de Hospedagem.

“Ontem demos um grande salto para expansão e melhoria do mercado de hosting aqui no Brasil, a reunião foi muito produtiva e conseguimos formalizar a criação da associação que todos tanto queriam, e melhor ainda, ela já nasce com um caixa de pouco mais de R$ 100.000,00 repassados de uma associação antiga que estava inativa, criada pela Locaweb e Hostnet. O mercado agora está unido e vamos brigar por melhores condições para as empresas do ramo”, diz Vicente Neto, eleito ontem o presidente da associação, que também é co-fundador e diretor-geral da netRevenda.com.

Roberto Bertó, da empresa TeHospedo, foi eleito o vice-presidente da associação.

Empresas que participaram da reunião: KingHost, HostNet, RedeHost, TeHospedo, netRevenda, CentralServer, Locaweb, Uolhost, Tecla, Rede2, Iphotel, Smartis, Metaweb, Inetweb, Hospedagemsegura e Alberguedaweb.

Link com as fotos da reunião: http://www.flickr.com/photos/snhinternet/sets/72157625510200702/

Na minha opinião essa foi uma excelente inciativa do pessoal da NetRevenda, parabéns Vicente, isso porque poderão ser discutidos fários aspectos dos serviços providos por estes provedores aqui no Brasil. Sabemos que os impostos e os custos com Link Internet são os pontos que mais influenciam os altos preços dos provedores brasileiros, juntos eles poderão pleitear por uma queda dos impostos e melhores serviços e valores das empresas de Telecom.

Não se esqueçam que os provedores de Internet são os celeiros de profissionais de TI, eu conheço centenas de profissionais que chegaram em um nível fantástico da carreira por terem trabalhado em provedores, lá o profissional não possui tantos recursos financeiros como em uma empresa de Multinacional, mas vivencia muitos problemas, exemplo são os ataques Hackers, além de terem que criar soluções corporativas utilizando tecnologias opensource.