Luciano Ramalho, gênio do Python, um dos fundadores do Garoa Hacker Club e gente boníssima, lançou o Python Fluente, em inglês e nos EUA, há alguns meses pela oreilly. Em poucas semanas, o seu livro se tornou best seller e líder de vendas na amazon.

A editora novatec, parceria deste blog, lançou o livro do Ramalho, como ele é conhecido no mercado, em português e há poucas semanas, e pelo que dizem, ele também é um sucesso de vendas no Brasil.

A simplicidade de Python permite que você se torne produtivo rapidamente, porém isso muitas vezes significa que você não estará usando tudo que ela tem a oferecer. Com este guia prático, você aprenderá a escrever um código Python eficiente e idiomático aproveitando seus melhores recursos – alguns deles, pouco conhecidos. O autor Luciano Ramalho apresenta os recursos essenciais da linguagem e bibliotecas de Python mostrando como você pode tornar o seu código mais conciso, mais rápido e mais legível ao mesmo tempo.

Muitos programadores experientes tentam dobrar o Python para que ele se enquadre em padrões aprendidos com outras linguagens e jamais descobrem os recursos do Python que estão além de sua experiência. Com este livro, esses programadores Python aprenderão a ser totalmente proficientes em Python 3.

Este livro inclui:

O modelo de dados do Python: entenda como os métodos especiais são o segredo para o comportamento consistente dos objetos.
Estruturas de dados: tire total proveito dos tipos embutidos e entenda a dualidade entre texto e bytes na era do Unicode.
Funções como objetos: veja as funções Python como objetos de primeira classe e entenda como isso afeta alguns padrões de projeto populares.
Técnicas de orientação a objetos: crie classes após dominar referências, mutabilidade, interfaces, sobrecarga de operadores e herança múltipla.
Controle de fluxo: tire proveito de gerenciadores de contexto, geradores, corrotinas e concorrência com os pacotes concurrent.futures e asyncio.
Metaprogramação: entenda como funcionam propriedades, descritores de atributos, decoradores de classe e metaclasses.

Ramalho, parabéns..