Encontrei as definições abaixo, fantásticas por sinal, e tomei a liberdade de publicá-las no blog. Espero que vc’s apreciem..

Definição Simplista

  • Encoding: é a maneira com que os conjuntos de caracteres são mapeados e manipulados.
  • Encryption: é o processo de ser criptografar um dado (dado qualquer).
  • Hashing: é o processo de se gerar uma sequencia de bits baseados em um dado de entrada afim de identifica-lo unicamente.

Definição Detalhada

  • Encoding: é a maneira com que os conjuntos de caracteres são mapeados e manipulados pelas máquinas, seja um software, seja um browser etc ex: No encoding ISO 8859-1 a letra “A” está na posição 65º (começando do zero) e pode ser representado no computador usando um único byte com valor de 65.
  • Encryption: é o processo de transformar informação usando um algoritmo de modo a impossibilitar a sua leitura a todos excepto aqueles que possuam uma informação particular, geralmente referida como chave. O resultado deste processo é informação encriptada.
  • Hashing: é o processo de se criar um hash que é uma sequência de bits geradas por um algoritmo de dispersão, em geral representada em base hexadecimal, representando um nibble cada. Essa sequência busca identificar um arquivo ou informação unicamente. Por exemplo, uma mensagem de correio eletrônico, uma senha, uma chave criptográfica ou mesmo um arquivo.

Exemplos

Encoding:

  • UTF-8: é um tipo de codificação Unicode de comprimento variável criado por Ken Thompson e Rob Pike. Pode representar qualquer carácter universal padrão do Unicode, sendo também compatível com o ASCII. Por esta razão, está lentamente a ser adaptado como tipo de codificação padrão para email, páginas web, e outros locais onde os caracteres são armazenados.
  • ISO 8859-1: é uma codificação de caracteres do alfabeto latino, a primeira parte da ISO 8859. Foi desenvolvida pela ISO, e posteriormente passou a ser mantida pela ISO e pela IEC.

Encryption:

  • DES: Fundamentalmente DES realiza somente duas operações sobre sua entrada: deslocamento de bits e substituição de bits. A chave controla exatamente como esse processo ocorre. Ao fazer estas operações repetidas vezes e de uma maneira não-linear, chega-se a um resultado que não pode ser revertido a entrada original sem o uso da chave.
  • IDEA: é um algoritmo de cifra de bloco que faz uso de chaves de 128 bits e que tem uma estrutura semelhante ao DES. Sua implementação em software é mais fácil do que a implementação deste último. Como uma cifra de bloco, também é simétrica. O algoritmo foi concebido como um substituto para o Data Encryption Standard (DES). IDEA é uma pequena revisão de uma cifra anterior, PES (Proposta Encryption Standard); idéia era originalmente chamado IPES (Improved PES).
  • RC4: é o algoritmo simétrico de criptografia de fluxo mais usado no software e utilizado nos protocolos mais conhecidos, como Secure Socket Layers (SSL) (para proteger o tráfego Internet) e WEP (para a segurança de redes sem fios). RC4 não é considerado um dos melhores sistemas criptográficos pelos adeptos da criptografia, e em algumas aplicações podem converter-se em sistemas muito inseguros.
  • Blowfish: é uma cifra simétrica de blocos que pode ser usado em substituição ao DES ou IDEA. Ele toma uma chave de tamanho variável, de 32 a 448 bits, tornando-o ideal para aplicações tanto domésticas, quanto comerciais.

Hashing:

  • MD5: é um algoritmo de hash de 128 bits unidirecional desenvolvido pela RSA Data Security, Inc., descrito na RFC 1321, e muito utilizado por softwares com protocolo ponto-a-ponto (P2P, ou Peer-to-Peer, em inglês) na verificação de integridade de arquivos e logins.
  • SHA: A família de SHA (Secure Hash Algorithm) está relacionada com as funções criptográficas (message digest). A função mais usada nesta família, a SHA-1, é usada numa grande variedade de aplicações e protocolos de segurança, incluindo TLS, SSL, PGP, SSH, S/MIME e IPSec. SHA-1 foi considerado o sucessor do MD5. Ambos têm vulnerabilidades comprovadas.