Esse deveria ser o mantra das pessoas que discordam umas com as outras, principalmente os jovens que almejam uma boa vaga de emprego, mas que erram ao achar que o ofendido nunca se recordará de tal agressão…

Percebo que estou vivendo com/em uma geração “mimimizenta”; que tenho que concordar com tudo que os outros dizem e gostam, tendo que achar tudo lindo e maravilhoso, sem discordar de forma concreta e objetiva com ninguém, caso contrário, passo como chato ou qualquer outro adjetivo e/ou palavra de baixo calão.

Pensar diferente dos outros, baseando-se em fatos, história referenciada, conhecida e reconhecida por livros é algo refutável, digno de ódio eterno.

O mundo bizarro esse que estamos vivendo..