Este fim de semana estive conversando com o Adilson Florentino e a Márcia, sua esposa, ambos são instrutores de treinamentos Cisco, além de serem excelentes pessoas, sobre a capacidade de alguns profissionais de TI de mudarem de área ou foco. Cito como exemplo um determinado profissional que trabalhe há anos com suporte à banco dados, mas que começou a estudar redes de computadores, tendo como objetivo largar o suporte às banco de dados e passar a suportar roteadores, switches e tudo aquilo que faz parte de uma rede de computadores.

Eu tenho duas considerações quanto a isso:

  • O profissional que fizer essa escolhe deverá ter em conta que jogará fora, neste caso de DBA para analista de redes/Telecom, mais de 60% de tudo aquilo que ele aprendeu nos últimos anos. Já que um DBA, administrador de banco de dados, trabalho muito mais com programação e suporte ao banco de dados do que com roteamento e configurações de um switch, quanto mais saber diferenciar camada 4 da camada 7, ambas do Modelo OSI.
  • Será que esse profissional estará preparado para começar como um analista júnior, no mais, um analista pleno, acarretando assim em um salário menor?.  O conhecimento do mesmo quanto ao suporte de redes de computadores é pouco, além de sua experiência ao suporte de banco de dados, sem falar do salário, é claro.

O profissional que deseja fazer uma mudança de carreira deve ter em mente esses dois pontos acima, pontos esses que acarretam em uma mudança grande do seu dia a dia de trabalho, experiência e salário.

Outrossim, é quando um profissional deseja aumentar o seu leque de conhecimento e consequentemente a sua experiência e empregabilidade. Isso acontece e muito com nós brasileiros, já que cada vez vemos vagas de emprego solicitando profissionais com um conhecimento genérico quanto a diversas tecnologias, sejam focadas a WEB, redes, segurança e até mesmo o suporte de email. Esse conhecimento genérico não quer dizer um salário maior, mas sim aumento da lucratividade das empresas em não precisar contratar um time tão grande para suportar um determinado ambiente, para isso, é só chamar o Coringa, o Batman é coisa de americano e europeu.

E a idade, pesa ? Eu digo hoje que não, isso porque vejo uma série de profissionais beirando os 50 e 60 anos e que estão com uma alta produtividade e capacidade de absorver conhecimento e apresentar resultado. É claro que não podemos comparar o gás de um profissional de vinte e poucos anos com profissionais de mais de 47 anos, mas os profissionais mais velhos levam uma grande vantagem, experiência, e essa vantagem em ambientes grandes é críticos gera economias quanto a multas. Ninguém gosta de pagar multas, quanto mais empresas de prestação de serviços.

Porém isso não é uma realidade na maioria das empresas e nem dos profissionais, e um dos motivos e a nossa querida e amada CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas), criada pelo presidente da República, Getúlio Vargas, na década de 40. Imaginem um profissional que trabalha a mais de 20 anos em uma determinada empresa, regido pela CLT, se ele pedir demissão do seu emprego, terá que abrir mão de 40% de multa sobre o FGTS que deixará de receber, além de outras multas e encargos que o seu ex-empregador deixará, e muito feliz, de pagar. Isso pesa em muito, tanto na hora que um profissional com esse tempo de casa recebe uma proposta de emprego, como também uma determinada empresa resolve fazer à velha e conhecida lista de demissões, vulgarmente conhecida como sopão.

Vejam que daqui a 20 anos, teremos uma população muito maior de idosos em comparação a população de jovens, eu por exemplo, já estarei com 50 anos de idade e não me vejo fora do mercado de TI, ainda. Empresas como a BMW, já se preocupam com isso, criando condições mais favoráveis de trabalho para os seus funcionários mais velhos, com cadeiras e posições  mais confortáveis e facilidade de locomoção. Essas alterações demonstraram um ganho de produtividade superior a 7% em comparação com a produtividade de jovens de seus vinte e poucos anos.

Em resumo, digo que TI é uma das poucas áreas que depois de 10 anos trabalhando chutando o hardware você pode mudar e passar a xingar o software.
?