Assistindo a mini-série de 3 capítulos, The Company, que conta a história da formação de um grupo de espiões, americanos(CIA) e russos(KGB), oriundos das melhoras universidades americanas e londrinas, Yale, Havard e Oxford, percebi que a espionagem que víamos em filmes das décadas de 50 ,60, 70 e 80 mudou muito deste então. A guerra fria acabou.

Mikhail Gorbachev, Secretário-Geral do Partido Comunista da União Soviética e Ronald Reagan, Presidente dos Estados Unidos assinando o Tratado INF.

Recém formados de grandes universidades eram recrutados por agentes mais experientes, já que esses jovens tinham um grande conhecimento de história, leis e línguas, além de terem um ideal muito forte quanto aos seus países de origem, requisitos essenciais para espionagem daquela época. Ideal esse que muitas vezes eram transmitidos por seus professores.

Todo treinamento de como espionar, passar e roubar informações, e até mesmo matar, eram fornecidos pelos seus novos tutores e empregadores. As principais línguas que os espiões deviam falar eram o Inglês, o Russo, o Alemão e o Francês.

Passaram mais de 5 décadas desde então, e recrutamento de jovens espiões não é mais o mesmo, aja vista que um jovem recém formado destas grandes universidades, americanas ou inglesas, buscam empregos nos grandes centros financeiros de todo o mundo, New York City, Londres e Hong Kong. Eles buscam alta remuneração, onde o seu ideal é o dinheiro. Vejam que os homens mais ricos do planeta pela Revista Forbes, são grandes empresários do meio financeiro, de tecnologia/telecomunicações, vestuário, minério e petróleo – Eike Batista que no próximo ano pode se tornar o quarto homem mais rico do mundo.

Os pé-requisitos para os jovens espiões são:

  • Inglês.
  • Coreano.
  • Árabe.
  • Russo.
  • Mandarin.
  • 0 e 1.

0 e 1, significa que ele sabe mexer em um computador, dai você já elimina quase todos os idiomas só restando o inglês, digo-lhes isso já que o Google Translate é uma das melhores invenções de todos os tempos. Se um aluno de um curso de inglês usa, então por que um espião não pode usar ?

Voltando ao mundo da espionagem, hoje temos a capacidade de rastrear toda a vida de um indivíduo pelo computador, basta o mesmo ter nascido em um hospital e ter sido registrado nos últimos 10 anos, e ou, possuir algum registro civil, CPF, RG, Título de Eleitor ou passaporte. Com um destes dados você descobre até o que ele comeu duas horas antes de ter cometido um crime, já que todos os dados de seu cartão de crédito ficam armazenados por um período mínimo de 5 anos.

Tendo toda essa grande massa de dados e informações digitalizadas, governos e empresas que trabalham com segurança só precisam recrutar um nerd que tenha habilidade com computadores e treina-lo nos diversos tipos de tecnologias, como redes, sistemas operacionais e segurança, para que o mesmo possa invadir uma série de sistemas e buscar a tão desejada informação. Vejam que hoje existem cursos e certificações voltadas ao mundo Hacker – CEH – Certified Ethical Hacker. Quem disse a vc`s que um governo não pode pagar para uma pessoa tirar essa certificação e se tornar um cracker ?

O governo Chinês tornou-se um dos maiores recrutadores de jovens que desejam aprender tecnologia da informação, pagando-lhes e fornecendo uma série de treinamentos sobre Cisco, Juniper, Linux, HTTP e afins, tendo como objetivo se defender, e quem sabe, atacar quando for necessário.

Cyberguerras já são de conhecimento de diversos analistas de segurança, onde verdadeiros ataques em massa ocorrem antes de alguma movimentação militar. Uma das zonas de cyberguerra mais movimentada está entre a Coréia do Sul e a do Norte, todo o tráfego Internet da Coréia do Norte é verificado pela Coréia do Sul, só não é verificado quando este tráfego passa pela China, país esse que faz fronteira do outro lado.

Índia e Paquistão também duelam pela Internet, onde vários serviços de Internet e seus clientes já sofrerão com panes misteriosas.

O mais interessante disso é que os novos espiões não precisam de uma formação cara e de alto padrão, mas de conhecimento técnico em informática e inglês, conhecimentos esses que são muito mais barato de serem transmitidos e muitas das vezes, de graça. Está tudo na Internet é só fazer o download e ler. Vejo que daqui há algum tempo teremos pessoas na China ou em países que possuem um alto nível de pobreza dizendo: Invado um site por comida.