Muita gente acredita em receitas de bolo para seus ambientes, quer dizer, se você está com algum problema de performance em um Linux, basta dar control+c + control+v em alguns parâmetros de kernel no /etc/sysctl.conf, salvar e um sysctl -p. Tudo estará resolvido. Ledo engano caros amigos.

Há mais coisas entre nós e o kernel do que vocês imaginam, e o curso RH442 ensina e para caralho isso, e uma informação muito importante, a certificação 442 é uma das mais difíceis do mercado.

Vejam o conteúdo do curso:

Introduction to performance tuning

Understand the basic principles of performance tuning and analysis.

Collecting, graphing, and interpreting data

Gain proficiency in using basic analysis tools and in evaluating data.

General tuning

Learn basic tuning theory and mechanisms used to tune the system.

Hardware profiling

Understand and analyze hardware.

Software profiling

Analyze CPU and memory performance of applications.

Mail server tuning

Learn about basic storage tuning using an email server as an example.

Large memory workload tuning

Understand memory management and tuning.

HPC workload tuning

Understand tuning for CPU-bound applications.

File server tuning

Understand storage and network tuning in the context of a file server application.

Database server tuning

Tune memory and network performance using a database application as an example.

Power usage tuning

Tune systems with power consumption in mind.

Virtualization tuning

Tune ’host’ and ’guest’ for efficient virtualization.

Como sempre, eu fui agraciado com a apostila e algumas reuniões via conference call para discussão de alguns conceitos, mas desta vez, eu dei sorte e estou falando com os “caras” nos EUA. hehhe – Finalmente.

Você acaba descobrindo que há uma imensa diferença de arquitetura entre o RedHat 6 e o 5. Novas funcionalidades para gerenciamento de memória e CPU foram adicionadas na nova versão, onde o RedHat está quase chegando aos pés do AIX, que em minha opinião, é um dos melhores sistemas operacionais quando o assunto é Tuning. Posso falar isso porque ajudei a desenvolver algumas features há alguns anos :).

Colocar o journaling do filesystem em SSD, utilizar interfaces 100Mb/s ao invés de 1Gb/s e outros assuntos são muito bem abordados e discutidos neste curso.

O fato é que a RedHat sabe e muito bem colocar o mel na boca de seus clientes quando lançam uma nova distribuição do seu carro chefe. O RedHat 6.0 trouxe algumas coisas bem interessantes para galera que trabalha com tuning.