O Brasil é um dos países mais hipócritas do mundo no que diz respeito a exploração do mercado do sexo.

A gente gosta de putaria, fala a respeito, mas não patrocina, e muito menos, diz que trabalha com isso.

O engraçado é que este mercado, tendo como foco a prostituição, seja a masculina (incluindo de travestis) e a feminina (vulgas GP’s), gera uma receita de mais de R$ 10.000,00, isso falando de sites medianos. E mais de R$ 40.000,00 para sites como Malicia, Pimp, Sexlog e Clubmodel.

Sites que trabalham com a curadoria de material adulto, isso já falando de replicas brasileiras do xvideos, já faturam mais de R$ 100.000,00/mês.

Fora isso, a infraestrutura mantenedora destes sites está muito longe dos grandes provedores de serviço de IaaS, como a Amazon. E o motivo para isso é muito simples, preço.

A Amazon sai cara devido ao tráfego de rede.

Falando sobre como trabalhar para uma empresa de entretenimento adulto…

Trabalhei suportando 2 dos maiores portais adultos do país, sendo um deles o maior para o público GLS. Este último possui a seguinte infra:

4 servidores de cache Varnish
4 servidores NGINX
6 máquinas dedicadas para web crawler – é sempre a parte que mais consome máquina, pois precisa agregar conteúdo novo
6 máquinas de banco de dados e para algoritmos.
E uma redundância com mais 6 máquinas em um outro datacenter que fica em Alphaville.

O custo da manutenção dos dois datacenters estava na casa dos R$ 25.000,00/mês.

O dono dos dois sites vivia dizendo que isso era o custo de uma transa de 1 hora com uma menina famosa.

Nunca duvidei dele, pois nunca repetiu um carro nas 7 vezes que encontrou comigo pessoalmente, onde o mais básico era uma BMW série M.

Lembro que certa vez o tráfego do Varnish tinha chegado a mais de 300 Mbps às 2:00 da AM, tudo oriundo da Europa. O Motivo “o filme com uma GLS famosa tinha sido divulgado no site deste cara”.

Só nessa madrugada, estimaram que o site faturou mais de US$ 10.000 com propaganda.

O que aprendi suportando estes dois clientes de entretenimento adulto …

  • Tuning é vida – sempre lembre disso.
  • Segurança nunca é demais, mas que não atrapalhe o negócio de seu cliente.
  • Antes de criticar o trabalho de alguém, saiba que ele pode estar ganhando em dólar ou até em euro, para suportar o site que você ou algum conhecido utiliza para se masturbar.

Sites como Brasileirinhas e tantos outros contratam, e muito, profissionais que manjam de programação ou administração de servidores web, pagando muito bem por sinal.
HTML 5
CSS
.NET
Nginx
Varnish
Apache
Mysql… estes são alguns dos pré-requisitos para se trabalhar para alguns destes grandes sites..

Curiosidades sobre o mercado do sexo no Brasil e TI…

Existe a fotógrafa especializada em acompanhantes de SP.
Existe o corretor de imóveis especializado para o mercado do sexo em SP.
O tráfego direcionado a grandes sites de sexo cai em mais de 10% quando algum jogo foda é lançado.
O Google não gosta de indexar pornografia,e por isso, alguns dos maiores empresários brasileiro do ramo estão trabalhando para montar o google do sexo. Já foram investidos mais de R$ 5 milhões neste projeto.
Estimasse que o Sexlog, a maior rede social adulta do Brasil, fature mais que o portal do youtube do porta dos fundos, só com clientes pagantes.
Nas semanas anteriores a parada gay de SP, sites especializados em prostituição masculina, cobram R$ 800,00 por uma divulgação por um período de 1 semana – há sites que fazem 300 na mesma semana.
100% dos grandes sites de sexo, mesmo nos EUA, ficam longe da Amazon. Já expliquei o motivo logo acima.