Essa foi a mensagem que recebi no fórum corporativo e que obrigou diversos pesquisadores, como eu, a mudarem a sua solução de criptografia de dados em discos instalados em notebooks.

Não se sabe até agora se a mensagem é verdadeira, mas ela deixou muita gente preocupada e chateada. Como uma ferramenta tão boa foi pro saco ?

Será que esse tipo de acontecimento é decorrência do fim dos interesses do mantenimento e investimentos junto ao opensource ?

Sites especializados em tecnologia, segurança e afins vêm declarando o fim do truecrypt. Especialista em S.I já publicaram dezenas de posts recomendando uma outra dezena de ferramentas. Mas o fato é que até agora nada, nenhuma outra solução é tão boa como a antiga.

O que fazer ?

Para Mac OSX, sistema operacional que utilizo para o trabalho, pesquisa e casa, resolvi criando um filesystem separado e criptografando-o. Fora isso, todas as minhas máquinas possuem SSD, daí a facilidade e pouca perda de performance quando implementado o FileVault. 🙂

Para windows, eu não tenho a mínima ideia do que fazer. E sendo sincero, nem quero saber.

Para Linux, há alternativas, pacotes e macetes para tentar substituir o truecrypt. Mas nada que chegue aos seus pés.

O jeito é esperar as notícias para saber se, de fato, o Truecrypt morreu.

P.S.: caso a filha do Paulo Roberto Costa tivesse criptografado os dados da empresa do pai em uma ponto de montagem no truecrypt, a barra do velho não estaria tão pesada assim. Daniel Dantas tem que ministrar curso para galera..