Li no Valor Econômico de hoje, uma reportagem quanto a criação de um grupo de desenvolvimento fora das paredes da Oracle/SUN para suportar o OpenOffice, programa com ferramentas para criação de apresentações, textos e planilhas que foi criado para concorrer com o pacote Office da Microsoft pela Sun em 2000.

O artigo traz uma série de aspectos que eram discutidos nos fóruns e por aqueles que utilizam o OpenOffice, o poder que a Sun tem, e hoje a Oracle, em alterar quaisquer configurações ou parâmetros do produto, vários desenvolvedores reclamavam disso, e hoje, com a criação do The Document Foundation há uma luz para empresas, governos e instituições que utilizam o OpenOffice ou o BrOffice, iniciativa brasileira baseada na solução free da Sun.

Eu vejo dois aspectos interessantes:

  • Uma certa segurança quanto ao mantenimento do OpenOffice ou quaisquer programas que sejam variações dele, como o BrOffice.
  • A preocupação que o mercado demonstra com a Oracle que até o momento só cancelou uma série de iniciativas e grupos que faziam suporte aos produtos e serviços open-source como o MySQL, Java, OpenSolaris como outros.

O  The Document Foundation fala que não deseja de forma alguma romper com a Oracle, mas e a Oracle, o que ela diz a respeito  ?

Nada oficial foi dito quanto a iniciativa do The Document Foundation, mas Larry Ellison, CEO da Oracle já disse que não gosta de soluções open-source.

Uma das maiores preocupações do mercado é com o futuro do Java, muitas especulações giram em torno do que irá acontecer, será que a Oracle criará uma versão Enterprise do Java para poder cobrar a sua utilização ?

Teremos que esperar por mais um trimestre ou próximo ano para que tenhamos uma definição da Oracle quanto ao mundo open-source que ela adquiriu, mas o importante é que alguns grupos já se movem para não deixar tudo a merce da Oracle.