É interessante como alguns gestores se apegam a certo tipo de tecnologia e serviço, achando que todos os seus problemas serão resolvidos implementado-a, há 2 anos foi SOA (hoje é moda falar mal de SOA) e atualmente temos virtualização e Cloud Computing. Fato é que a virtualização trouxe uma série de benefícios, principalmente o financeiro, colocar 10 servidores em uma única caixa física, diminuindo custo de hardware, software, energia e suporte é um baita negócio.

Caso você trabalhe em uma revenda de software e diga que o seu produto não pode ser virtualizado, esqueça, você não conseguirá vendê-lo. As duas únicas empresas que conseguiram falar isso, para ambientes produtivos, foram a SAP e a Oracle, e olha que a Oracle diz que dá para virtualizar os seus bancos utilizando Oracle VM, mas conheço poucas empresas que fizeram isso no Brasil.

O problema com a virtualização está na hora que tudo fica banalizado, do tipo: Virtualiza tudo, preciso de mais servidor, virtualiza, preciso de mais network, virtualiza e assim vai. Sabemos que nem tudo pode ser virtualizado, e hoje, alguns analistas e pessoas que trabalham com suporte têm se deparado com ambientes que estão chegando em um ponto que a virtualização não é mais benéfica.

Soube de um amigo que um cliente resolveu todos os seus problemas de espaço físico e energia elétrica com a implementação da virtualização em seu datacenter, porém ele está com problemas para compra de servidores que suportam esta infraestrutura pois ele havia montado toda a sua arquitetura com equipamentos Blade, no caso dele, a enclouseres utilizada para suportar todos os servidores vai até 20 lâminas, lembrando que cada lâmina é um servidor, como demonstrado na foto abaixo:

Essa empresa montou o seu ambiente virtual com 3 servidores blades, tendo assim 60 lâminas, porém agora ele precisa crescer mais 3 servidores/lâminas, mas para isso ele terá que gastar uma boa grana na compra de outra enclosure que suportará estes novos servidores. Isso pode ser um problema dependendo do caixa da empresa neste momento.

Recomendo fortemente a todos que planejam a virtualização do seu ambiente que considerem o seu crescimento futuro, o fato é que a virtualização traz uma sensação de crescimento infinito de recursos, e sabemos que isso não existe, mas vai explicar isso para o desenvolvedor, gerente ou diretor ?!

Mas, e quando você chega ao seu gerente e direto e fala, não temos mais como crescer para o tal projeto de desenvolvimento, a resposta é: Usa Cloud Computing, você pode crescer infinitamente, paga só o que usar e é barato!

As duas primeiras afirmações são verdadeiras, pode crescer infinitamente, dependendo só do fornecedor da solução de Cloud Computing e paga pelo que usa, mas barato isso não é, digo que a conta pode ser tornar mais cara que a de um collocation caso você não mensure corretamente os recursos necessários para esse ambiente, os maiores vilões das contas de serviços de Cloud Computing são:

  • Gestores mal informados que não analisam previamente o que realmente precisam.
  • Desenvolvedores que sempre querem o máximo de recursos para o desenvolvimento e realização de testes de suas aplicações.
  • Falta de controle ou monitoração da utilização de recursos de espaço em disco, storage e CPU, isso sempre causa problemas quando a conta chega.

Veja que de fato, Cloud Computing é uma evolução quando falamos de serviços de TI, vejam pela foto abaixo:

Mas não quer dizer que é a solução de todos os seus problemas quando o assunto é crescimento e espaço, pois a conta que vier para você pagar pode lhe trazer algumas surpresas, caso você não planeje ou dimensione corretamente os recursos que serão necessários.

O recado é: Tudo em excesso pode causa problemas, inclusive tecnologia.