Acesso Rápido no Brasil: não é o plano de banda larga nacional e sim um servidor novo.

Tags: , , ,

Para melhorar o acesso à Internet em terras tupiniquins foi instalado um clone/cópia de um servidor raíz DNS no Brasil, passando da velocidade de 100 milissegundos para 10 milissegundos quanto a consulta de endereços. Este novo servidor DNS foi instalado no dia 13 de janeiro, no Ponto de Troca de Tráfego (PTT) de Porto Alegre. PPT é onde acontece a interconexão entre as redes, o que permite a navegação por sites comerciais, governamentais e de ensino e pesquisa, dai a sua importância para o acesso a Internet.

Existem 13 servidores DNS raíz no mundo, onde os seus clones foram criados e espalhados para melhorar a velocidade de acesso, deem uma olhada na foto abaixo:

DNS espalhados pelo mundo.

Uma das maiores preocupações com a segurança da Internet são os servidores DNS raíz, a queda ou invasão de um desses servidores pode gerar um caos na Internet para milhares de pessoas em todo mundo. A preocupação é tamanha que o governo americano vem implementando medidas de segurança como a blindagem física e lógica de seus datacenters, como também de seus principais servidores.

Ataques à Internet e as empresas americanas saiu dos filmes da década de 90 e tornou-se uma realidade, realidade essa que vem tirando o sono de muito administrador de sistemas ou ambientes.

As empresas vêm adotando medidas para facilitar a retomada de suas operações em caso e desastres, uma dessas medidas e a virtualização de seus servidores DNS como exemplo: veja que um servidor DNS não consome muito processamento, memória e espaço em disco, então dai o motivo da virtualização. Caso ocorra algum problema físico ou lógico com ele, servidor virtual, é só retornar uma versão anterior e em minutos o seu ambiente é restabelecido. Mas tem um detalhe importante, a segurança do ambiente físico que suporta os servidores virtuais deve ser bem controlada.

A notícia em si do novo servidor DNS no Brasil me chamou atenção devido a pane com os servidores do Speedy, que até a presente data não teve uma explicação oficial. Será que a Telefônica aprendeu a lição?

COMPARTILHE ESTE ARTIGO

DEIXAR UM COMENTÁRIO

MENU