Há algum tempo, e coloca tempo nisso, publiquei por aqui o excelente texto da Renata que fala sobre as coisas que as empresas precisam saber para que um nerd ame o seu trabalho.

Eu sou um NERD e amo o que faço. Cheguei em um momento da minha carreira que não preciso aceitar qualquer tipo de trabalho ou empresa.

Preso por ter desafios, por um tempo para estudar e melhorar os meus conhecimentos. E mesmo sendo PJ (pessoa jurídica), preso por um tratamento profissional, coisa que é difícil para caralho na maioria das empresas em SP.

Sendo assim, eu tomei a liberdade de copiar e postar aqui o texto abaixo, adicionando mais alguns pontos que acho bem importantes:

1. Nunca, NUNCA, obrigue um geek a cumprir horário de cartão de ponto se não for REALMENTE necessário. Não adianta nada fazê-lo chegar às 7 da manhã para trabalhar sem inspiração e motivação até as dez, quando ele realmente estará desperto, porque é uma “regra da empresa” o horário comercial, quando ele poderia chegar feliz e satisfeito às dez e sair às oito, e produzir muito, muito mais. Todos nós somos perfeitamente capazes de chegar no horário solicitado, mas posso assegurar que ninguém gosta. As exceções só se aplicam, claro, às pessoas que trabalham em turnos. Aí não tem saída mesmo.

2. O local de trabalho. Se existem mesas disponíveis, deixe-o escolher a que mais lhe agradar. Se ele sentou num cantinho isolado virado para a parede, não reclame que ele está “isolado demais da equipe” – afinal, ele precisa de privacidade para se concentrar nos problemas que irá resolver. É recomendável, se você tem uma equipe com um número considerável de nerds, manter um sofazinho para que eles possam eventualmente relaxar. Não há mal nenhum nisso. Especialmente quando eles ficarem até de madrugada trabalhando – eles gostam de desafios, não os obrigue a largar um problema pela metade porque “está tarde”.

3. Luz e temperatura ambientes devem ser controladas de maneira razoável e de acordo com a equipe da sala- claro que não estamos questionando o frio necessário dos datacenters. Eu normalmente acho muito claros os ambientes onde eu trabalho, mas não vejo muita solução para isso – é impossível agradar todo mundo. O ideal é fazer algo que não pareça a luz do sol de verão nem fique escuro, e manter a temperatura por volta de uns 22 graus.

4. Como dizia a Björk, “My headphones, they saved my life“. Nós precisamos ouvir música para trabalhar. Já vi casos em que o computador oferecido para o trabalho não suportava tocar mp3, o que, nos dias de hoje, é totalmente bizarro. Mas tudo bem, nós temos mp3 players, é só nos deixar usá-los em paz quando estivermos precisando de concentração. Eles salvam nossa vida.

5. A roupa. Gostamos muito de camisetas com dizeres engraçadinhos estilo thinkgeek + jeans, ou saias, para as meninas. Tenho uma coleção enorme de camisetas temáticas. Eu acabo me vestindo mais socialmente que isso porque gosto muito de saltos muito altos. Então, não precisamos nem de ternos / tailleurs ou uniformes. Ternos/ tailleurs nos deixam com cara de advogados, e uniformes, bem, com cara de qualquer outra coisa, office-boy da empresa, talvez. Tiram nosso bom humor. Não precisamos disso. Nós saímos da escola, já sabemos nos vestir, e não somos homens/mulheres de negócios.

6. Festas da empresa. Não as faça obrigatórias, muitos nerds são assim chamados por não serem pessoas com social skills. São excelentes profissionais, mas odeiam conversar sobre a novela das 8 com a mulher do chefe – conheço muita gente assim. Não obrigue-os. Agora, você pode seduzi-los facilmente realizando no evento um campeonato de Nintendo Wii. Difícil resistir.

7. Use e-mail e instant messenger. Bem melhor que interrompê-lo e cutucá-lo para dizer “já fez o que te pedi?”, “posso falar com você agora?”. Interrupções são HORRÍVEIS. ABSOLUTAMENTE HORRÍVEIS. Tiram o foco, que é muito, muito importante para seu trabalho. Mande um e-mail, ou mensagem pelo seu IM favorito. Leremos quando pudermos, e melhor, ficará tudo registrado em um histórico ou em nossa caixa postal. Ao contrário do que imaginam, instant messengers não atrapalham, só lemos quando não estamos com o foco na janelinha piscante (mais sobre isso lá embaixo). Lembre-se do aviso do ônibus: “Fale somente o necessário” – o resto, escreva.

8. Você contratou um funcionário de TI. Você espera que ele faça trabalho de TI. Não o submeta a trabalhos exóticos, como ir ali na rua comprar lanche para o chefe, entregar papéis para um cliente (office-boys existem para isso), fazer cobrança (o departamento de cobrança existe, não?), entre outros trabalhos não-relacionados. Não me entendam mal: nós gostamos de “novos desafios”, mas DESDE QUE SEJAM NA NOSSA ÁREA. Adoraria que me colocassem para consertar um AIX – não é o meu trabalho, mas eu ia me virar para fazer, é um novo desafio. Mas comprar lanche… Não.

9. Bebidas. Trabalhamos muito, portanto, precisamos de líquidos. Não bebemos SÓ café. Eu, por exemplo, não bebo café. É legal disponibilizar café, agua quente, e aquela maletinha simpática da Leão com diversos chás. Não sou só eu que bebo litros de chá – muita gente bebe. E, obviamente, água. Se na empresa houver espaço, garanto que uma máquina de refrigerante fará sucesso e trará lucro.

10. Acesso à internet liberado é importante para a nossa produtividade. Sabemos métodos para burlar todo os tipos de bloqueio – afinal, nos contrataram porque entendemos do assunto. O problema é que ficamos irritados e aborrecidos, o que nos afeta diretamente. Não confiam em nós, que dedicamos tanto de nossa vida ao trabalho. Se existem funcionários que abusam do acesso, eles devem ser punidos. Reprimir quem não fez nada errado por causa de meia dúzia de pessoas que não querem trabalhar é que é um abuso. Revejam suas políticas. Quem quer conversar no horário de trabalho, vai dar um jeito de fazê-lo, seja por MSN ou ao vivo.

11. Nunca, jamais, em hipótese alguma minta para um NERD sobre as atribuições e o tipo de trabalho que ele exercerá em seu novo emprego. Ele ficará no trampo por nada mais do que 3 meses, já que este será o tempo máximo e necessário para ele arrumar um emprego.

12. Há tipos de profissionais que se especializaram tanto que o seu notebook pessoal se tornou um acelerador de partículas, mas em um tamanho bem menor. Cito o meu notebook como exemplo. Ele é um macbook pro Retina com 16GB, 8 processadores(emulados) e um SSD de 512GB. Em consigo analisar heapdumps de 8gb em menos de 10 minutos. Este tempo é multiplicado por 20 quando utilizo um desktop. Então não tente forçar o cara a utilizar o desktop de bosta da empresa para fazer o trabalho, caso o profissional tenha a capacidade de fazer o mesmo, mas em um tempo bem menor.

13. Não é porque vc trabalha como PJ(pessoa jurídica) dentro de uma empresa que você merece ser tratado com desprezo. O pior é que na maioria dos casos, o PJ acaba assumindo funções mais importantes e essenciais dentro das empresas e dos departamentos de TI do que os próprios CLTs. Em resumo, vc, empregador, realmente vai querer tratar mal o funcionário PJ que consegue produzir e resolver 2x mais problemas que um CLT.

14. Os empregadores devem entender que o período de experiência de 3 meses não é só válido para o novo empregado. É neste período que ambos os lados avaliam os prós e contras de cada uma das partes, concluindo no final se vale a pena ou não continuar com aquela relação. Então empresas, por favor, se esforcem para reterem os seus cérebros/nerds, assim como eles o fazem para continuar trabalhando naquele lugar.

Compartilhar:

Este post tem 5 comentários

  1. Esqueceu do tapete vermelho e da massagem nas costas, também esqueceu que esta no Brasil onde há grande índice de desemprego, ótima estratégia pra manter seus concorrentes longe da sua vaga, aposto que na vida real você deve ser bem diferente.

  2. Maurício, vc é o senhor de suas decisões.

  3. Não Mauricio. Pra profissionais de TI com um pouco mais de experiência, a realidade do mercado é bem diferente da regra geral do país.

  4. Não penso que deva ser assim tão relaxado como o texto da a impressão de ser, o trabalho que nós nerds fazemos — se não traz essa impressão, é preciso forçar muito pra não se ter essa impressão.

  5. fala serio Mauricio nem se deu o trabalha de pesquisa o motivo do auto índice de desemprego(falta de mão de obra qualificada)

Deixe uma resposta

Fechar Menu