Comecei a revisar alguns livros especializados em auxiliar candidatos à vagas pra concursos públicos focados em TI. Há editoras no Brasil especializadas neste tipo de material e elas só contratam profissionais que passaram com uma boa qualificação/ranking para escrevê-los.

O meu processo de análise dos concursos públicos baseou-se nos seguintes pontos:

  • Analisei o que era pedido pelo concurso, vendo o material de estudo e bibliografia recomendada – quando existia.
  • Passei a analisar os livros recomendados, tanto pela agência que estava abrindo as inscrições para o concurso, como por instituições de ensino, em SP, que são especializadas em ministras cursos que auxiliam na preparação do candidato e possuem resumões para os seus alunos.

A necessidade de decoreba para os concursos públicos brasileiros é maior que para uma certificação VMware, impressionante. A prova pedia coisas do tipo: Como você deve imprimir uma folha office – quais botões devem ser clicados ? Como configurar o teclado em ABNT ?

Sei de casos, contados pelas próprias instituições de ensino, que tiveram candidatos que passaram na prova de conhecimentos gerais de TI sem ter mexido em um computador na vida. A pessoa decorou todos os passos via o livro. Eu fico imaginando que tipo de funcionário público ele se tornou.

Passei a analisar concursos mais específicos de TI, onde eles solicitavam conhecimentos de programação e redes. Vi desde questões simples até as mais avançadas, mas o que ficou claro para mim foi que o governo não precisa de um profissional de TI. Ele precisa de alguém com uma boa memória. Por isso que ele terceiriza tanto. O nosso governo não está contratando cérebros, mas sim pessoas que vivem de decorar questões e respostas para conquistar a tão sonhada estabilidade.

Não é um crítica aos candidatos, eles estão simplesmente jogando conforme as regras. O problema está em quem cria as regras. Por este motivo é que o governo brasileiro, como empresa, é o maior terceirizador de serviços deste país. Dizem que para cada funcionário público federal há 3 terceirizados, não sei se isso é verdade ou não, mas depois que a polícia federal terceirizou a verificação de passaportes nos aeroportos para voos internacionais, eu não duvido mais de nada.

Compartilhar:

Este post tem 20 comentários

  1. Verdade, este é o nosso Brasil.
    E digo mais.. Não só na área de TI é assim..

  2. Ótima análise, muito bem!

    Corrigir a expressão se pertinente:

    “Por este motivo é que o governo brasileiro é o maior terceirizador de serviços deste país”.

    Se o governo a ser referido é do país então no final tem que ser “…serviços do mundo.” Se o governo a ser referido for um estado tem que alterar “…este motivo é que o governo [estado]…”. Entendeu? pra ter comparação.

    Parabéns pelo Post.

  3. Discordo totalmente do seu ponto de vista.
    Dada a enorme concorrência em concursos públicos(ainda mais em TI) é necessária alguma forma de selecionar os melhores.
    E a prova não é só decoreba, exige interdisciplinariedade, capacidade de análise e raciocínio.
    Temos que nivelar por cima. Não é só decoreba, existem milhares de formas de estuda pra fazer o conhecimento fazer parte do seu dna: resumos, mapas mentais, ciclos de tempo, etc…
    Um exemplo é a prova de Auditor de TI do TCU, que às vezes exige que o candidato saiba todos processos e itens do PMBOK e pede 4 discursivas.
    É justo, pois o salário inicial no TCU é 14.000 e não pede experiência, certificação ou pós.
    O governo não precisa de pessoas com boa memória, precisa de bons gestores.

  4. Caro Jamson,

    O Governo terceiriza pois a especialidade dele é administrar o país e não escrever códigos em java ou fazer pentest.
    Dependendo do órgão, pode ter carreira específica de TI e daí tem concurso público.
    Terceirizar TI é uma questão política.
    O governo também é o maior cliente de TI do Brasil.

  5. Anônimo, e você acha que um recém formado é um bom gestor ? Já fui funcionário público (3 meses) e sei como as coisas funcionam nos órgãos públicos. Tolo é aquele que acredita que o concurso público faz um funil atrás dos melhores profissionais.
    Os candidatos estão certos em participar destes concursos. Eles buscam a tão sonhada estabilidade, pena que o governo Dilma/PT puxou o tapete deles neste ano. Tenho amigos que estudaram, passaram e não foram chamados. Isso é uma sacanagem. Mas não quer dizer que o cara esteja preparado para dar suporte aos servidores da Receita Federal.

  6. Gustavo,

    O nível de conhecimento de quem entra num TCU é gigante e o candidato não passa recém formado(só se for gênio). é possível, mas a quantidade de conhecimento exigido é bem grande e para absorver demanda tempo. Não é só TI, vc vai precisar saber contratos de TI, auditoria, segurança, direito administrativo, constitucional, direito tributário, português, inglês, redes, programação e vc vai escrever 4 peças técnicas(2 de conhecimentos gerais e 2 de TI).
    São 150 itens e uma errada anula uma certa o que não te deixa chutar(aconselho dar uma olhada na prova para ver o nível).
    O recém formado não é um bom gestor, mas se ele passar no TCU de digo que ele sabe muito e ainda vai receber um belo curso de formação remunerado e muitos cursos de atualização, coisa que não existe na privada( salvo exceções).
    A Dilma/PT não pararam os concursos, para quem não sabe, a corte momentâneo( e que permite exceções) fica restrito ao poder executivo.
    Os tribunais(judiciário), senado e tcu(legislativo) e as empresas públicas(Petrobrás, BNDES, Dataprev, Serpro, etc) continuam realizando concursos normalmente.
    Outra coisa que as pessoas não sabem é que ocorrem demissões, aposentadorias e milhares de pessoas passam em outros concursos abrindo novas vagas que não precisam de concurso.
    Se seus amigos não foram chamados é porque eles não passaram dentro do número de vagas. Se passou dentro do número de vagas é direito líquido e certo e cabe mandado de segurança.
    Já tenho um tempo nessa estrada, é preciso se manter na fila porque a vida boa é para sempre.

  7. “O Governo terceiriza pois a especialidade dele é administrar o país e não escrever códigos em java ou fazer pentest.”
    Desculpe-me Anônimo, mas por pensamentos assim que os serviços do nosso pais estão como estão, se o função dos profissionais concursados não for exercer o cargo para qual foram nomeados, fico só imaginando um medico público não operar, uma professora não ensinar e etc… Afinal, educar e fornecer saúde, também não é a especialidade do governo.
    A grande realidade é que este molde de funcionário público recebendo bons salários, e não executando o serviço para o qual foram contratados, tem que acabar, experiência deveria sim ser um fator de eliminação, publicações e formação Acadêmica deveriam servir para um plano de carreiras, e mais alguns cargos deveriam ser escolhidos não por concurso, mas sim por processo seletivo (ta bom, isso é utópico), só que, como estamos no Brasil isso infelizmente abriria uma janela para o famoso Peixe… .
    Na verdade…
    O Governo terceiriza por não possuir a capacidade de Administrar.

  8. A diferença entre decorar e aprender é simples: ser ou não ser um PROFISSIONAL DECENTE. Quem escolheu a “maciota” como estilo de vida, decora e até passa. Os desbravadores, os que aprendem, salvam a pele dos adeptos da decoreba quando o negócio aperta, salvam o chefe, a empresa e o que mais vier, pois os caras sabem. Quem é pró-ativo passa por cima da incompetência alheia, da podridão que se encontra a máquina administrativa do País, de animais preguiçosos, de tudo. A essência está na cabeça, e determinação para superar a si mesmo pelo simples prazer de conhecer, não é para qualquer um. Viva a Era do Conhecimento!

  9. “.. Mas não quer dizer que o cara esteja preparado para dar suporte aos servidores da Receita Federal”.
    Gustavo, concordo com vc…
    Conheço muitas pessoas despreparadas que dão “suporte” a estes servidores, muitas vezes sequer são da área de TI. Apenas seguem um passo-a-passo elaborado por uma coordenação centralizada.
    E na contra mão muitas pessoas que são preparadas para dar suporte a estes servidores, porém devido a “gordura” (falta de pessoas, politicagem e etc) do serviço público estão totalmente deslocadas de sua área, trabalhando em coisas que não tem relação com TI.
    Concurso público não comprova competência de ninguém apenas prova que você tem uma boa memória.

  10. as parte de TI das provas é lotada desse tipo de questoes,algumas faceis outras dificeis, mas isso acontece nao so na de TI como na de Portugues, os estudantes nao aprendem a propria lingua, decoram algumas coisas e pronto.

  11. Na minha opinião, existe pessoas despreparada tanto no setor público quanto no setor privado. Quanto a prova, aqui no Brasil que uma pessoa de 40 anos e uns 15 anos de experiência não consegue um emprego decente e se achar um recebe um serviço de analista sênior e com salário de office-boy. É necessario ir com a massa nas decorebas e tentar um emprego que valoriza o profissional, mesmo que seja de TI e você faça coisa que não seja de sua função.

  12. anonimos2.

    1 palavra = frustrante.

  13. Isso ta cheirando a insatisfação de quem tentou um concurso público e não foi aprovado! Criticar é a saida, infelizmente.
    Vai analisar as provas de perito criminal federal e depois vc me diz se existe alguma possibilidade do cara ser aprovado sem ter VASTA EXPERIENCIA prática sobre os temas abordados!
    Outra coisa, se o cara foi capaz de decorar e ser aprovado em uma prova, já mostra ser melhor do que vc, que sequer foi capaz de decorar conceitos a fim de atingir um objetivo final!

  14. Acho que você não leu o post todo: Eu já fui funcionário público – traduzindo – Eu passei em concurso e discordo completamente do que foi dito referente a capacidade superior que uma pessoa tem perante as outras só porque sabe decorar as coisas. Você pode ter um monte de informação, mas sem imaginação e capacidade, vc não consegue fazer nada com ela.

  15. Na minha opinião, acho que vcs querem chegar a algo como o conceito do CHA ( conhecimento, habilidade e atitude), só porque o cara decorou conceitos ele apenas tem o conhecimento mas não tem o como fazer e a vontade de fazer.Para decorar é simples, adquirir o conhecimento é vital.Aplicar o conhecimento que é o desafio.Quanto aos emprego em repartição pública, todos pensam em segurança em empregabilidade.Vc não imagina com 50 anos numa empresa sendo trocado por um guri de 25 com sálario menor e engrossando a fila das pessoas experientes trocada pela geração X e Y.

    http://www.administradores.com.br/informe-se/artigos/cha-conhecimento-habilidade-e-atitude/39202/

  16. A discussão é antiga… mas para os que dizem que é nivelado por cima, já ouvi Gestores de grandes Órgãos, falando que precisam rezar para passar alguém realmente bom em um concurso de TI.

    Para cada 10 aprovados, com muita sorte 2 possuem alguma experiência, por isso o número de terceirizados.

    Sem contar que os bons, muitas vezes não preferem o Concurso publico, pois preferem “Trabalhar” de verdade. huahauhauhauha (só para esquentar o debate).

  17. Anônomo: Você tá por fora da realidade!! eu moro em Brasília há mais de 10 anos, já trabalhei em vários órgãos público e pode dizer com certeza!!! O método de avaliação é falho!!!
    1o) Analista de Segurança da Informação (vaga para especialista) e na prova cai SQL / JAVA / PMBOK / ITIL / XML / Gestão de Projeto / Calculo de ponto-de-função!! Essa prova foco!!! o objetivo é a contratação de especialista e não generalista!!!
    2o) O mercado procura especialistas e não generalista, sabe de tudo um pouco não de faz ninguém um especialista.
    3o) Trabalho com TI a mais de 15 anos!! Terceirização não acaba!!! justamente porque o Governo Federal não sabe avaliar, alias, o Governo não!! as empresas que aplicam e elaboram as provas!!
    4o) Em uma analogia simples podemos comparar o profissional de TI á um profissional da área de saúde
    (um médico), assim como há especialistas em Cardiologia, Ginecologia, Urologia, Neurologia, Pediatria,
    também há especialista em Banco de Dados (DB2, SQL-Server, Oracle, etc), Desenvolvimento (Java,
    PHP, C, Python, Plone, Zope, Delphi, Visual basic) Gestão de Projeto, Armazenamento, Infra-estrutura (LAN, WAN), Segurança (IPS, IDS, Antivírus), etc.
    Não há como aplicar uma prova para vaga de médico cardiologista na qual há questões de neurologia,
    pediatria, gastro-endocrinologia, fisiologia e ginecologia, mas esses absurdos acontecem na área de TI, tanto na área privada quando na esfera pública (principalmente).

  18. Eu concordo plenamente com o entendimento que o metodo de avaliação do concurso publico para a área de TI é totalmente desconexo!!!
    O que o Wildson de Macedo Oliveira falou faz sentido, o mercado trabalha com especialista, esses caras que sabem um pouco de Java, um pouco de firewall, um pouco de PHP, um pouco de SQL, na realidade não sabem de nada.

    O cara decora um trilhão de coisas de TI, aprende os massetes dos cursinhos para passar na prova, depois que passa em um concurso mas não tem capacidade e competencia atender as necessidades da vaga, esse individuo não é demitido por causa da estabilidade e não pode ser realocado porque caracteriza desvio de função (a lei proibe), ou seja, no final das contas o governo vai
    inchando com um monte de pessoas que não consegue excercer as atividades a qual foi condicionado a fazer e é ai que as empresas terceirizadas racham de ganhar dinheiro, quando o órgão não tem competência para determinada atividade, abre-se uma licitação para prestação de serviço.

    Na iniciativa privada é simples e dinamico demais, se o funcionários não está atendendo a espectativa da vaga ele simplismente é demitido(pagando-se os direitos trabalhista) e pronto, contrata-se outro, esse talvez seja a razão pela qual as empresas terceirizadas de TI consigam profissionais melhores e mais baratos que os funcionários da esfera pública.

    Passar em prova de concurso não é, nunca foi e nunca será atestado de competência, profissionalismo, experiência!!!
    Digo isso com toda autoridade de quem trabalha prestado serviço para o governo federal, tem muita, mas muita TI perdida, entregue na mão das empresas tercerizadas justamente porque os funcionários públicos não tem esperiência e competência.

  19. discordo totalmente do seu comentário. acho que você é mais um que não consegue administrar sentimentos de frustração, ou talvez de inveja. você adquiriu prática na sua área de que forma, ah já sei, comeu um ovo da pascoa e no outro dia já tinha uma grande experiencia na sua área. vou resumir, VOCÊ NÃO TEM CAPACIDADE DE PASSAR EM CONCURSOS, POIS NÃO CONSEGUE ESTUDAR, VOCÊ ESTÁ ESTAGNADO. ACHA QUE TODO CONHECIMENTO É RESUMIDO AO QUE VOCÊ APRENDEU. acorda para realidade. chupa essa uva…….. e vai estudar.

  20. Fernando, já fui funcionário público e saí pq não via futuro na profissão. Caso esteja com algum problema pessoal e não aceite críticas, por favor, procure um analista..

Deixe uma resposta

Fechar Menu