Monitorar os recursos computacionais e os seus ambientes é mais do necessário, é uma questão de sobrevivência. Seja em servidores físicos, virtuais ou providos em Cloud Computing, a monitoração sempre estará presente e acompanhando estes recursos, mas qual é o melhor tipo de monitoração, a proprietária (opensource e paga) ou a terceirizada ?

Vamos antes estabelecer alguns pontos de entendimento quanto a monitoração.

Há excelentes soluções opensource como o Nagios, mas elas necessitam de mão de obra especializada e capaz de customizar toda a ferramenta.  Já as soluções pagas possuem incríveis features que fazem quase tudo para você. Eu já presenciei casos onde só foi necessário colocar o range ip na console de administração em uma dessas ferramentas pagas para que depois ela fizesse todo o processo de discovery e co-relacionamento de todo o ambiente. Impressionante, mas tudo tem o seu ponto negativo, e neste caso foi o preço.

Outro ponto importante quanto as atuais ferramentas de monitoração é a sua subdivisão. Alguns foram projetas para o mundo Web. Essas ferramentas são dedicadas à se comportarem como um usuário, partindo do pré-suposto que elas analisam toda a infra como um serviço, mas quando o mesmo apresenta um problema, elas fazem o drill down, vai a fundo até encontrar a causa raíz. O Wily Introscope da CA e uma das melhores do mercado neste quesito.

Já há outras ferramentas dedicadas para monitorar performance, tanto de redes como de servidores, chegando ao ponto de entregarem uma análise de possíveis gargalos futuros, como o esgotamento de espaço em disco ou link internet em tantos meses. É quase uma mãe de ná, mas essa, a ferramenta funciona:)

Mas se eu falar para vocês que há todas essas ferramentas reunidas em serviços providos via cloud e com um preço bem acessível, vocês acreditariam ?

A LogicMonitor possui uma destas ferramentas. Eu fiquei impressionado com a quantidade de informações que a ferramenta Web deles consegue capturar, processar e analisar. Vejam a console de administração deles:

Ela possui alguns agentes de monitoração, que na verdade são denominados coletores. Eles capturam e levam os dados, que serão analisados para a console central. Tudo isso real-time, fora é claro, o armazenamento para posterior comparação – o conhecido antes e depois.

Achei a solução da LogicMonitor bem interessante para pequenas e médias empresas que possuem ambientes físicos, virtuais ou em cloud. O meu único receio foi quanto a queda do acesso à Internet. Sem Internet, você fica sem monitoração.

Ainda sobre monitoração via cloud, eu acabei encontrando uma empresa que faz praticamente a mesma coisa que a LogicMonitor, mas com uma variedade bem maior de coletores, é a MegineEgine e sua incrível lista de coletores. Vejam abaixo:

Mas de fato, serão estas as ferramentas responsáveis pelo fim do Nagios ? Difícil viu, isso porque há 2 velhos conhecidos problemas que podem ferrar com a sua monitoração – Conectividade e latência. Um dos dois já é uma baita dor de cabeça, mas não podemos negar que o valor de um ambiente monitorado por uma destas duas soluções que funcionam na nuvem é bem mais barato.

Daí, eu sugiro o seguinte “Tenha um Nagios em seu ambiente e contrate uma das ferramentas” Um olho de fora é sempre melhor do que dois por dentro.

Boa sorte com o seu ambiente.. 🙂

Compartilhar:

Este post tem 5 comentários

  1. Muito bom. Eu já o vi funcionando, mas que eu me lembre, ele é bem caro.. 🙂

  2. Galera, o que vocês acham do Zabbix?

  3. Gustavo, bacana o post e as informações passadas.

    Eu tive a oportunidade de trabalhar com as soluções apresentadas ai por você e te digo que em um grande cliente, a unica solução que funcionou foi o Applications Manager da ManageEngine, e olha que o cliente tinha o Introscope da CA e outros 5 do mesmo genero.
    Já com relação ao Cascade é uma boa solução tb. Eu participei do primeiro treinamento do Cascade aqui no Brasil.
    O importante mesmo é ter um gerenciamento que atenda tanto a necessidade do negócio.
    Muito bom o seu blog. Já vou add no blog da pastelaria.

    Grande abraço…

Deixe uma resposta

Fechar Menu