Faz um bom tempo que não publico nada no blog e que siga o meu jeito de pensar ou de falar, um tanto que controversos, diga-se de passagem. O motivo para tal delonga foi bem simples: preguiça e desânimo.

A preguiça veio devido a farta carga de trabalho que assumi, há alguns meses, trabalhando com DTM (descubram o que esta sigla quer dizer, estudem, e saibam que a tecnologia por trás dela vem mudando o mercado).

E o desânimo foi porque muitas coisas aconteceram, tanto profissionalmente como pessoalmente.

Como boa parte da galera pensa como eu, que somos simples passageiros neste universo, joguei a poeira para debaixo do tapete e resolvi escrever, começando pelo assunto que vem tirando o sono de muita gente, mesmo para galera que trabalha com TI, uma das áreas que mais recruta profissionais, pelo menos no Brasil, nos últimos 10 anos – O mercado de trabalho no meio desta crise.

Para começo de conversa, resolvi analisar as vagas disponíveis em sites conhecidos da nossa área. O primeiro deles foi o apinfo.com. Clássico e foi aonde eu consegui todos os meus empregos.

De cara, eu posso dizer uma coisa para vc’s, a coisa não está boa não, mesmo para São Paulo. 🙁

Semanalmente, eu visualizava entre 30 ou 50 vagas para desenvolvedores JAVA. Hoje, elas não passam de 15. Imaginem então para outras áreas como infraestrutura, com foco em redes ou Linux ou segurança da informação ? As vagas caíram para no máximo 5 por semana, cenário este bem diferente de 7 meses atrás.

Também verifiquei sites como infojobs e catho, que não chegam aos pés da apinfo, mas que auxiliam na análise do mercado. Todos apresentaram resultados piores que o anterior. 🙁

Em resumo, e para infelicidade geral da galera que está entrando no mercado, a quantidade de vagas disponíveis para o nosso mercado teve uma queda de quase 70%.

O que fazer em uma situação como esta ?

A especialização, principalmente da língua inglesa, é um dos caminhos mais indicados. Vejam, são poucos os profissionais que trabalham com TI e que são fluentes em um segundo idioma. Os que possuem estas características tornam-se moscas brancas, termo dado aos profissionais com um excelente diferencial junto ao mercado de ti.

Certificações mais complexas, como CCIE e de arquiteto JAVA, também auxiliam na busca de um emprego no período em que estamos passando. Porém, se fosse para eu apostar em um investimento mais tangível quanto aos benefícios a curto ou médio prazo, eu focaria na especialização do idioma, e quem sabe, um intercâmbio, seja via um hack bootcamp, que pode levar 12 semanas (3 meses) – ideal para quem foi desligado de uma empresa e está com um dinheiro a mais na conta e deseja investir não só no inglês, mas também no aprimoramento do conhecimento técnico, ou se não, no clássico estudo de 1 mês ou 45 dias do intercâmbio.

Mesmo com o dólar chegando quase na casa dos R$ 3.20, eu defendo a especialização do inglês fora de nosso país, pois vc terá contato com uma cultura fantástica e poderá aprender e muito, não falando só do idioma, é claro.

Para aqueles recém saídos da universidade, eu recomendo a obtenção de certificações básicas, como por exemplo Linux LPI1-&2, JAVA developer, Scrum Master, Cisco CCNA e o segundo idioma. Estes diferenciais irão lhes auxiliar, e muito, na hora que estiverem disputando uma vaga com os seus colegas de classe.

E uma coisa, neste momento de crise que a escolha do bom emprego sempre deverá ser colocado de lado. Foque no trabalho, salário e aprendizado. Depois de algum tempo que vc poderá mudar para qualidade de vida e ganhos mais altos.

Boa sorte para todos..

Compartilhar:

Este post tem 8 comentários

  1. Tem como dar uma dica do que é DTM? No Google tá cheio de empresas de diversas áreas chamadas de DTM e inclusive aparecem siglas de outros idiomas como “Deutsche Tourenwagen Masters” e termos médicos como “Disfunções Temporomandibulares” Ou Driver-Testing-Seiláoquê. Garanto que não é por preguiça ou má vontade. De qualquer modo peço desculpas.

  2. Sábias palavras Gustavo, estava focado em mudar de emprego em 2015, Trabalho na área comercial, e quero e irei mudar para Ti, estudei(técnico em redes de computadores) e agora estou cursando segurança da informação, infelizmente sem experiencia comprovada em carteira e com uma idade acima dos 25, fica um pouco mais complicado, mas, seguirei em frente. e sua opinião, em estudar outro idioma(inglês) e se especializar mais(certificações). Sempre tomo decisões em opiniões de pessoas como você com vasta experiencia no mercado. Obrigadoo, e animo que você ajuda milhões de pessoas com seus textos e conhecimento.

  3. Ótimo post, Gustavo.
    Quer virar uma mosca branca albina? Estude Inglês e Espanhol !!! É muito difícil achar alguém com perfil técnico e que tenha fluência em idiomas – e os melhores empregos pedem isso.
    Além do mais, se você puder, pense em ir para fora. O mercado americano está com grande carência de profissionais bem qualificados. Se você tem vontade de sair do país, não perca tempo: especialize-se, foque no idioma, tire certificações importantes na sua área e comece a procurar.

  4. Gustavo, basear-se na queda de vagas somente pela análise dos sites citados talvez não seja o caminho para avaliar o mercado. Nós que trabalhamos vagas de TI há muito tempo estamos utilizando outras fontes de recrutamento e quanto mais conhecidos nos tornamos, mais os Candidatos passam a cadastrar direto seus currículos, nos permitindo fazer a primeira busca em nossa própria base.
    Mas quero colocar aqui uma questão e gostaria de sua opinião: mesmo dentro da crise, os profissionais de TI ainda continuam como campeões em rotatividade, muitas vezes trocando de empresa olhando somente para os ganhos. Somente aqueles que optam realmente por fazer carreira dentro de uma empresa, é que acabam mantendo-se por mais tempo. Será que isso virou um modelo dentro do mercado de TI?

  5. Isso vale um post… Cadê o blog novo, cacete..

  6. Estou acompanhando pela Apinfo as vagas desde o início do ano e estou chocada. Nunca nossa área esteve com números tão decadentes, como os dos últimos 3 meses. Sem valor do valor hora dos profissionais. Oferecer R$ 3.500,00 para programador Java é um insulto não?

  7. Rosane, concordo com vc e isso dará um belo de um post na nova versão do coruja de ti…

Deixe uma resposta

Fechar Menu