Essa semana, eu tive acesso a uma série de previsões de investimentos que as grandes empresas de TI, em todo o mundo, estão fazendo para este ano fiscal. Não me surpreendeu em nada saber que diversas destas empresas estão investindo bilhões de dólares na construção de datacenters, na compra de hardware e no desenvolvimento de produtos que administrem ambientes virtualizados, e tudo isso está sendo feito por um único motivo: A humanidade está gerando dados de forma exponencial.

Dr. Manoel Veras explicou isso muito bem em sua palestra realizada no Web Security Forum. “Um ser humano já nasce com um pendrive de 5GB”, palavras dele. 5GB é a quantidade de dados que um bebê produz logo após o seu nascimento.

Muitos dizem que estamos na era dos computadores, que todos os dados e informações estão trafegando nas redes de fibra ótica, mas eu vejo que ainda falta muito para chegarmos no ápice da digitalização, e isso ocorrerá dentro dos próximos 10 anos.

Vejam por exemplo o judiciário brasileiro, faz menos de 7 meses que ele passou a aceitar somente processos digitalizados, legal não ?! Isso dará maior velocidade no trâmite de uma ação, mas e os processos antigos ? , o que será feito com eles ? A digitalização de bilhões de páginas poderá levar décadas, a não ser que o governo brasileiro invista na compra de super-scanners, os mesmos utilizados pela Google para digitalização de “quase”todos os livros do planeta.  O governo brasileiro passaria a scanner toneladas de páginas amareladas dos arquivos do judiciário e com isso, criaria uma das maiores base de dados existentes no Brasil.

O ponto é: A empresa que estiver melhor preparada para armazenar, suportar e assegurar os dados que estamos gerando, será a empresa que mais lucrará. A Google saiu na frente e já investe US$ 890 milhões por ano na criação ou no upgrade de seus datacenters.

Um outro detalhe que não pode passar desapercebido é que a Google demonstrou que um dado não vale somente pelo seu tamanho, mas sim pela qualidade da informação que ele carrega. O Gmail é um exemplo disso.

A Google possui uma imensa base de dados sobre o comportamento humano, catalogada, atualizada e o mais importante, de graça. Tudo isso graças a um serviço de email que possui mais de 200 milhões de usuários. Estamos falando só da base do Gmail, o filé mignon está na base corporativa que a Google passou a suportar com o seu Gmail Business, provido via Cloud Computing. Não achem que a Google não se aproveita dos dados armazenados em seus servidores. Isso é o que faz ela lucrar quase US$ 3 bilhões por trimestre.

Estou ansioso para ver os balancetes deste trimestre das empresas de TI que vendem hardware. Teremos um crescimento bem auto no quesito compra de servidores, storage e equipamentos de rede.

Compartilhar:

Este post tem 2 comentários

  1. É bem provavél que as grandes empresas estejam focalizando seus investimentos nesse ponto, para preparem seus ambientes para proverem e receberem serviços em forma de cloud.

  2. Isto é um tanto quanto relativo. Existem grandes empresas que estão migrando toda a sua infra para “Cloud”. O que acaba justificando essa migração é a economia entre manter um data center próprio ou contratar um serviço de Cloud, como por exemplo, o da Amazon que sai praticamente de graça em vista aos custos de uma infra.

    E obviamente isso implica no investimento em hardware de empresas que hospedam os serviços de Cloud. Acabei concluindo a minha própria questão, mais fica ai opnião.

    Abraços e parabéns pelo excelente post.

Deixe uma resposta

Fechar Menu