É fato que grande parte da população mundial, mais de 90%, possui algum dado ao seu respeito publicado na Internet, seja um censo demográfico, uma informação da previdência privada ou uma compra. Cada vez mais somos reféns da tecnologia e com isso, precisamos evoluí-las, seja criando áreas de armazenamento menores, processadores mais rápidos e eficientes, e redes mais rápidas e pontes.

O mundo já fala em redes de computadores com tráfegos superiores a 322 tbps, tráfego suficiente para fazer download de toda a biblioteca do Senado Americano em 1 segundo. Um tráfego de dados que há 3 anos atrás era impossível de se imaginar, mas hoje já se pergunta: será que vai agüentar a demanda mundial?

Surgimento das Redes

Muitos sites e bibliotecas online, Wikipédia, por exemplo, falam do surgimento das primeiras redes de computadores nos EUA, no final da década de 60, início de 70, interligando inicialmente faculdades, centros de pesquisa e bases militares. É lógico que o governo americano investia grandes somas de dinheiro em novas tecnologias capazes de aumentar ou ganhar a liderança na corrida armamentista gerada pela Guerra Fria. Isso é visto já que em menos de 4 anos mais de 30 instituições americanas possuíam uma rede de 50Kps interligando e trocando dados, principalmente as bases que guardavam os silos nucleares. Alguns documentos e documentários dizem que Richard Nixon, presidente dos EUA entre 1969-1974, teria liberado grandes somas em dinheiro para uma série de pesquisas armamentistas, inteligência e para evolução da comunicação e mídia, ele só não imaginou que isso iria tirá-lo do poder.

Tecnologias como roteamento, endereçamento IP, troca de mensagens eletrônicas (email) além de outras, surgiram no início da década de 70 e persistem até hoje. Institutos, padrões e formatos de comunicação foram criados e ainda são utilizados, exemplo é o TCP/IP.

Seus obstáculos e seus avanços.

Até meados da década de 80, possuir um computador em casas brasileiras era um direito para poucos no Brasil, o luxo dos luxos. A troca de dados era feita com o uso de disquetes e fitas k-7. Já no final da década de 80, início da década de 90, os EUA começaram a utilizar a tecnologia de comunicação de dados, BBS, para a população em geral. Tecnologia de transmissão de dados essa que já era utilizada já há uma década pelo governo americano, principalmente nos programas espaciais da NASA, como o envio de homens ao espaço e satélites, já que os dados gerados por esses equipamentos precisam ser retransmitidos de uma forma rápida, clara e segura.  A Internet como hoje nós conhecemos foi um avançado das redes BBS, além do cabeamento e roteamento dos dados. Empresas como Cisco e Nortel surgiram com uma série de equipamentos que facilitavam a comunicação entre vários computadores, com a fácil instalação e configuração.

Não podemos nos esquecer que a evolução dos sistemas operacionais e a homogeneização de sistemas, drivers de equipamentos e softwares tem uma grande parcela de culpa no que diz respeito a evolução da comunicação de dados. Falar uma mesma linguagem facilita e muito a comunicação, nós percebemos isso quando  aprendermos inglês e viajamos pelo mundo, várias placas, avisos e documentos estão escritos em inglês, agora imagine o mesmo para os computadores.

A ilustração abaixo é um dos primeiros mapas topológicos de uma rede de dados no mundo:

Esta ilustração, cortesia do computerhistory.org, mostra o diagrama da Arpanet em 1973.

Armazenamento e transferência de dados.

Durante as décadas de 80 e 90, transferir um arquivo com 1.44 MB pela BBS e logo depois Internet, demorava mais de 50 minutos, já que possuíamos equipamentos de comunicação via linha telefônica, modens, com velocidades de 52KPs. Após 10 anos, tínhamos a capacidade de transferir um arquivo de 10MB em 50 Minutos, e agora, em 2010, podemos transferir nas residências brasileiras um arquivo de 1GB em 30 minutos. O salto foi absurdo, graças à evolução dos equipamentos de transmissão de dados e as empresas que o produzem. Nos EUA, Europa,  Ásia e Brasil presenciamos a venda de soluções combo de telefonia, televisão e Internet, solução essa utilizando um único meio de transmissão e um único equipamento instalado na casa do cliente.

Esse vídeo mostra a evolução do armazenamento de dados nas últimas décadas:

A cada 6 meses presenciamos o surgimento de um processador no mínimo 3x mais rápido que o anterior, áreas de armazenamento como discos rígidos duas vezes maiores que a anterior. Para utilizarmos todos esses recursos, nós precisamos de conexões de dados mais rápidas e eficientes. Ter em casa uma conexão de 1Gbps em residências na Ásia é uma coisa normal, agora imagine a quantidade de espaço em disco que um usuário deste tipo de conexão possui, já que o mesmo pode baixar um arquivo de 1GB em poucos segundos.

Uma evolução tecnológica leva a outra, é tanto que nas últimas décadas a quantidade de parcerias feitas entre empresas de segmentos tão diferentes da área de tecnologia, mas que possuem co-dependência é uma necessidade de sobrevivência de mercado. O que adianta ter um computador que pode processar 1 bilhão de arquivos por segundo se você não pode baixar da Internet 1 bilhão de arquivos por segundo.

Empresas, governos, pessoas e tecnologia

Globalização é um termo hoje simples e fácil de entender graças à comunicação digital que usufruirmos. Um fato importante que acontece na Rússia é transmitido em poucos segundos para o mundo todo, isso incluindo áudio, vídeo e texto. Ser repórter, pesquisador ou cientista está muito mais fácil hoje em dia, você precisa de 3 coisas: um computador, uma conexão, Internet e dinheiro para pagar ambos, mas pouco dinheiro. Os dados, esses não tem preço, já que estão indexados e armazenados em lugares de fácil acesso e que todos já conhecem a sua localidade.

As nossas vidas estão resumidas a arquivos digitais, arquivos esses que são transmitidos entre empresas, governos ou pessoas mal intencionadas em poucos segundos. A evolução das redes e computadores gerou 2 pontos importantes a serem observados: Facilidade no acesso ao dado – Segurança de como e aonde acessar o dado.

Até aonde chegaremos?

Não existe uma resposta clara quanto a essa pergunta, agora, sabemos que a comunicação e a tecnologia estão passando por uma evolução que acreditamos ser a quinta evolução, a evolução da humanidade mais tecnologia. Vejamos o caso dos chineses, 1 bilhão e 313milhões de habitantes onde ela possui 340 milhões de pessoas ligadas a Internet, mas com um salto de crescimento de mais de 18% ao ano no número de acessos. Quando esse número chegar a 750 milhões de usuários, a quantidade de dados trafegados pelo mundo, a quantidade de informação e conhecimento que os chineses e nós, brasileiros, teremos acesso será incrível.

Existe um estudo que diz que cada lar americano em 2008 consumiu nada mais nada menos que 3.8 zetabytes de informação. Multiplique essa incrível quantidade de informação consumida por 300 milhões de pessoas até 2014.

Escala de Dados.

Esse dado é tão preocupante que diversos provedores de Internet já começaram a migrar seus roteadores para tecnologia IPv6, já que os endereços disponíveis providos pela tecnologia IPv4 estão na casa de 1%. Não é para menos, temos no Brasil mais de 152 milhões de aparelhos celulares, se imaginarmos que cada aparelho celular possui um endereço IPv4, vocês já firam a quantidade de IPs por celulares. Fazendo uma soma aritmética com celulares, computadores, carros e tudo aquilo que pode receber um endereço IPv4 pelo mundo, já é possível perceber o porque da escassez.

Olhem as imagens ao lado quanto ao censo feito pelo CAIDA da utilização de endereçamento IPv4:

Censo CAIDA

fonte: O texto acima foi tirado de um trabalho que um grupo de amigos da faculdade e eu fizemos para uma aula de redes. Tivemos como fontes o IDGNOW, Revista The Economist, Guia do Hardware e alguns artigos do blog Coruja de TI

Compartilhar:

Este post tem 3 comentários

  1. Com essa informação sabemos que evoluir nas formas de transmissão que são a base para tudo isso ai, é que vai mandar. FTTx, enfim são coisas que estão no mercado, esperando pelos backbones. E onde estão os equipamentos de alta velocidade de acesso? Na Juniper!! O_o A corrida já comecou… e é praticamente estratégia de guerra… em menos de 1 ano, interfaces de 40 GB serão essenciais, e em mais 2 anos, não sabemos como estará! Tem mais coisas sob essa teia… Se voce for procurar vai ver que o caminho está confuso, e a área está em desespero! kkkkkkkkk

  2. OMG , você vê o que está acontecendo na Síria? Independentemente de uma brutal repressão do governo , as manifestações continuam

  3. Ei pessoal, pode ser os EUA muito melhor fora de furar a Assad da Síria ?

Deixe uma resposta

Fechar Menu