Quando eu leio notícias desse tipo: Trabalhadores de TI entram em estado de greve, eu percebo que o nosso sindicato está nos comparando aos trabalhadores rurais ou metalúrgicos, profissionais que executam tarefas repetitivas e com alto grau de periculosidade e que precisam de alguém para dizer o que é certo e o que é errado.

Repito a minha frase: Está insatisfeito com o seu salário e o seu trabalho, estude, aprenda e arrume outro emprego, melhor e que lhe valorize. O mercado de TI brasileiro está aquecido e não será uma greve ou o sindicato que irá garantir melhores condições de trabalho para você.

Imaginem uma grande multinacional tendo mais de 30% dos seus trabalhadores parando pela greve. O RH desta empresa irá procurar jovens profissionais em faculdades, escolas técnicas e qualquer lugar onde uma pessoa aceite receber R$ 2.500,00 por mês mais benefícios. Quantos de vocês que estudarem, investiram o seu tempo e o seu dinheiro em cursos aceitariam um salário destes ?!

Alguns irão dizer que não recebem nem metade disso, então você deve mudar de tecnologia ou de empresa, pois é esse o salário que muitos analistas de suporte que falam inglês recebem de grandes multinacionais (casar conhecimento técnico com o inglês é primordial nos dias de hoje).

Quanto a greve declarada pelo SindPD, isso irá afetar algo no meu dia a dia ? Não, posso trabalhar de casa como mais de 80% dos profissionais que trabalham comigo. Todos possuem internet de alta velocidade, digamos assim, e conexões VPN, ambas permitem acessar os clientes e executar os nossos afazeres. Mas e o pessoal de Call Center e suporte primeiro que são ligados ao SindPD ?, estes devem ter em mente duas coisas:

Primeira – Estudar, melhorar o seu conhecimento técnico e o seu inglês para progredir em sua carreira profissional e sua vida

Segundo – Uma pessoa poderá ocupar o seu lugar em menos de 24 horas, a realocação de profissionais ocorre de forma mais rápida nessa área.

Sou um trabalhador de TI que se fud.. na vida, sozinho, comprando os meus livros, pagando os meus cursos e aprendendo com o meu suar. Ninguém e nenhum sindicato bateu a minha porta dizendo que iria me ajudar. Não será uma greve que irá resolver os seus e os meus problemas.

Compartilhar:

Este post tem 19 comentários

  1. Bom, sem contar transferir parte do trabalho para países onde a hora dos profissionais é mais barata que a nossa.
    Até hoje, segui o mesmo caminho, aprendendo sozinho e me dedicando muito para chegar até aqui, e para mim, também sempre tive o mesmo pensamento: “Não está contente? Se mude!!!”
    Se você for capacitado suficiente, não terá problemas em arrumar um emprego melhor, já se não for capacitado suficiente, logo após a greve, tenha certeza de que terá que procurar outro emprego. neste caso, aproveite os dias para rever seu currículo.

  2. “é vedada a rescisão de contrato de trabalho durante a greve, bem como a contratação de substitutos”

  3. entre em greve, volte e veja o q acontece. o Bradesco manda embora quem entra em greve. vc acha q a Ibm não fará o mesmo ?

  4. Você está tendo uma visão simplista! Trocar um funcionário que ganhe R$ 5.000,00 por um que ganhe R$ 2.500,00, muitas vezes, não é uma economia. Nenhuma espresa séria faz isso só porque o funcionário entrou em greve. Ainda mas em se tradando de uma categoria inteira.
    Não conheço de perto a atuação do SindPD, mas acho que a melhor forma de mudá-la é participando. Caso contrário, você permite que tomem decisões em seu lugar. Como dizem: cada povo tem o governo que merece! Isso vale também para sindicatos.

  5. > Está insatisfeito com o seu salário e o seu trabalho, estude, aprenda e arrume outro emprego, melhor e que lhe valorize.

    Ou melhor funde sua própria empresa, isso é bem barato hoje, e quando o fizer trate bem os seus funcionários.

    Pague bons salários e exija um bom conhecimento de fato em algumas tecnologias nas entrevistas no lugar de palavras num papel que deveriam representar várias e você atrairá os melhores pra sua empresa.

    No começo deve ser difícil ter um produto ou serviço pra vender, ou mesmo ter dinheiro para contratar funcionários, para alguns nesse momento é possível começar com consultoria pra pagar as contas e buscar novos mercados no futuro.

    Sei que não é uma opção pro pai de família, mas para os demais por vezes é algo viável, a chance de sua empresa dar certo e você alcançar uma independência vale o risco.

    > pois é esse o salário que muitos analistas de suporte que falam inglês recebem de grandes multinacionais.

    Muito pouco, já estava recebendo isso em poucos meses depois de ser efetivado, e eu não tinha nem um ano de empresa. Isso nem paga aluguel perto de alguns locais de trabalho em SP.

    Francamente acho que o que falta em algumas áreas talvez seja capacidade de negociação salarial e não greve ou mudança de emprego, se você sair de um emprego que é uma merda há grandes chances de alguém vir depois e ter de trabalhar nas mesmas condições.

    Pra mim negociar um bom salário ou recomendar um aumento salarial a outro funcionário para o meu chefe (algo que já fiz e deu certo) é como fazer um bom código ou documentar bem a infra, pensar no outro sentando no mesmo lugar que você no futuro e não ferrar a vida dele com algumas decisões simples no presente.

    Mostre para a empresa que você é essencial, que a vida sem ter você era pior, que seu time melhorou muito depois daquele conjunto de decisões ou de ter mais gente que é boa na área, se a empresa crescer, ficar mais eficiente mas não aumentar um pouco o seu salário, e o de seus colegas, pule fora, essa daí não vale a pena.

  6. Concordo com vc de todas as formas, alias, até ontem nem sabia que eu era afiliado desse sindicato até o rh da minha empresa me falar de um desconto no próximo mês. Sinceramente, estou me matando de estudar hj pq estou insatisfeito com meu salário e, acho que e assim que todos tem que agir pois para mim esse lance de greve não se aplica a nossas atividades. Uma pegunta… Existe algum benefício para quem é do sindPD?
    abs

  7. Concodo que para termos uma carreira solida é necessário arduo estudo, mas neste caso existem muitas empresas de TI de grande porte que exigem do funcionário : certificações, qualificações, cursos e etc e pagam uma miséria para funcionários dando a ilusão para o mesmo que vai crescer profissionamente , como no caso das empresas : Hp, Eds, Stefanini e etc, com vale-refeição de R$ 7,50, banco de horas sem horas extras, sálario abaixo de R$1000,00 , o que o sindicado está tentado fazer é ajudar esta categoria menosprezada.

  8. O que muitos aqui não entenderam é que a greve não é só relativa ao salário, mas sim a valorização da profissão, para quem acompanha o mercado é fácil perceber que que nos últimos anos o que é exigido do funcionário não é recompensado pelo salário, ou seja você tira diversas certificações e formações e não é valorizado pelas empresas, principalmente as de TI (salve exceções).
    o Mundo comercial é sustentando por pilares, um deles é a TI, basta uma greve bem organizada para que as empresas ( e clientes das mesmas ) percebam o quão é importante nossa profissão, e com isso talvez teremos o reconhecimento que merecemos.

  9. Vejo muita gente aqui com Medo e pagando de moralista cheio de objetivos e princípios.
    Muito programador fala: “O Mercado está aquecido e eu não estou nem ai pra minha empresa, se eu ficar insatisfeito saio na hora!” mas quando acorda aperta este mesmo programador medroso fica 3 meses trabalhando 18 horas por dia e ao invés de “sair e cair no mercado” como dizia outrora, este fica reclamando pelos corredores.

    Eu acho que fazer greve não é rebaixar a classe. Muito pelo contrário, fazer greve é FORMAR uma classe. Deixar de ser uma monte de caras que sabem mexer no computador para virar verdadeiros profissionais formados e estudados.

    Mostrar indiginação com condições de trabalho é mostrar que você é um profissional e exige respeito. Não apenas uma digitador que pode ser trocado a qualquer momento e de qualquer maneira.

    Infelizmente estou discrente com esta greve pois sei que muito de nossa área estão com as calças nas mãos de perder o emprego.

  10. Sou um profissional com bastante experiência e bem conhecido no meu meio, sou a favor sim da greve, a greve vai além de solicitar aumentos no salário, vale refeição, reinvidicar uma PLR para os que não tem, ela também tem como objetivo criar pisos e tetos salariais evitando a concorrência desleal entre as empresas ao custo do sangue dos trabalhadores, concordo que podemos trabalhar em casa e que também podemos estudar e progredir, é o que tenho feito há 10 anos, mas pensar apenas no meu conforto não é ser ético, sabemos que em todo meio temos àqueles que se fazem de vítima e ao meu ver até ganham mais do que merecem, mas não são todos e não quero mais ter que ver empresas de anos fechando a porta porque alguém fez o serviço por 1/3 do valor nas custas de estagiários ou profissionais apaixonados porém sem nem um pouco de ambição (ambição saudável neste caso)…

  11. Se cada um de nós continuar com o pensamento individualista de “eu mesmo faço meu salário” ou então “o mercado já valoriza o bom profissional”, certamente nossa categoria será cada vez mais desunida e desvalorizada. É isso que as empresas querem!

    As empresas são muito organizadas entre sí, através do sindicato patronal, então a única forma de melhorar nossa categoria é termos representatividade, é atuarmos junto ao órgão que nos representa (SindPD) e exigir sim, melhorias para todos.

    Anualmente, recebemos um aumento linear no nosso salário (para quem trabalha como CLT, claro) que em média gira em torno de 7% (discídio). Esse aumento só é possível graças à atuação do sindicato, pois com certeza as empresas não fariam esse reajuste por conta própria.

    Além do mais, o que o nosso sindicato quer é valorizar nossa categoria, e esse aumento de 11% que estamos pedindo não tem nada a ver com a capacidade individual de cada um, mas sim, é uma reposição de perda salarial (inflação, aumento de preços, etc).

    A mobilização é válida!

  12. O comentário sobre trabalhadores rurais e meta igor os foi mal colocado, desculpe dizer, todas as profissões precisam de estudo e todas são necessárias. Profissionais de TI não podem cometer o erro de se acharem superiores.

    E quanto a opnião de que se esta insatisfeito tem que mudar de trabalho, é muito simplista. Sim, hoje o mercado esta aquecido. Sim, hoje existe muitas vagas no setor. Mas isso é tão divulgado que não seria estranho que em um futuro próximo existam tantos profissionais de TI quanto professores. E quando isso acontecer precisaremos de um sindicato forte e não um que nos mande procurar outro emprego. A criação de salários base para as diversas atividades da TI é o básico para q isso aconteça.

  13. Aos que entraram em greve e foram demitidos: greve é um direito do trabalhador garantido na Constituição!!! Se foi demitido por entrar em greve, pode processar a empresa por perseguição… Risco de ser demitido não pode haver e, se há, é mais um motivo para permanecer em greve lutando por seus direitos. Somente a união das pessoas pode conquistar qualquer direito. Dizer que não há, nem ouve motivos para se fazer greve, só mostra falta de conhecimento da história. Greve é luta! Lutamos desde sempre. Lutamos para trabalhar 8 horas por dia (eram 18!!!!!). Lutamos pelo 13º salário. Lutamos por férias. Lutamos por aposentadoria. Lutamos pelo direito ao voto. Lutamos pela igualdade da mulher. Lutamos contra preconceitos de cor, credo, opção sexual. Lutamos atualmente pela liberdade na internet, para que possamos expressar nossa opinião livremente nessa rede (como você fez agora, sem essa luta, você poderá ser processado por essa opinião, sabia?) Passamos nossa vida lutando e conquistando. Sindicatos estão aí para isso, assim como demais movimentos populares: organizar uma classe e ajudá-la a lutar, a conquistar seus direitos. Se não está contente com o seu sindicato, o que deve ser feito é participar mais dele e mostrar sua opinião aos dirigentes, ou até montar uma chapa para ajudar a combater o que acha errado na sua categoria e lutar por melhores condições de trabalho sempre.

  14. Fernanda, após ler o seu comentário, pensei nisso: Agora vamos todos dar as mãos e cantar kumbaya. Paz e Amor.
    A vida não é assim, um sindicato não resolve tudo isso.

  15. Caja, então releia o que escrevi. Em momento algum disse que UM sindicato resolve todos os problemas, mas que a manifestação popular, a aglutinação de forças faz a diferença… Pessoas que lutam por um mesmo objetivo conseguem alcançá-lo mais fácil do que quem grita sozinho.

  16. Li o texto, e vale a pena dizer:

    Fácil falar “se está infeliz no seu emprego, procure outro melhor, oras, tem muita empresa por aí. Se você é bom vai achar.”

    Achar, para muitos, não é o mais difícil. Mas já pensou se todos os funcionários e empresas pensassem assim ? Teríamos muito mais profissionais capacitados no mercado, e isso é igual a Salários mais baixos.

    Empresas anunciam lucros recordes ano a ano, e para os funcionários, aumentos miseráveis.

    Honestamente, a TI no Brasil já poderia estar pagando bem mais, mas esse comodismo de “se to infeliz, é só estudar e mudar de emprego” é o que desvaloriza nosso trabalho.

    Lembrando: Sabe os metalúrgicos, os quais os intelectuais de TI colocam num patamar abaixo, de gente ignorante ? Então, a média salarial das empresas de metalurgicos são maiores que a maioria das empresas de TI… éééé…pode acreditar.

    “Parar não é a solução”: Cada caso é um caso. Não estou envolvido no que aconteceu para o Sindpd tomar essa atitude. Mas não acredito que tenha sido apenas uma negociação mal sucedida. Como disse, temos vários exemplos de empresas que anunciam crescimento de mais de 20%, mas aí na hora da negociação, querem só reajustar com a inflação.

    Continuem lutando, vale a pena. Quem acha que não vale, tudo bem, direito da pessoa. Fique procurando outro lugar para trabalhar. Lembrando, você pode fazer parte dessa greve, e mesmo assim continuar a fazer cursos e se especializar. diferente do que os pseudo-intelectuais gostam de dizer, greve não é coisa de vagabundo. Isso é papo de empresa.

    Faça valer seu direito.

  17. Kim entre no site do sindpd, lá v.c poderá ver todos os convenios oferecidos e poderá tambem ver que seu sindicato é atuante … não é um sindicato fantasma que recebe suas mensalidadde e não faz nada para a categoria .

  18. Sempre ficam falando “nao está contente com a atuação do sindicato, participe mais, monte uma chapa, e mude ele”.
    Ok, e como fica TRABALHAR? Ou as atividades no sindicato são executadas fora do horário comercial?

Deixe uma resposta

Fechar Menu