Os primeiros meses do ano são sempre lembrados pelo pessoal que trabalha com TI como uma verdadeira via crucis. Isso porque somos obrigados a nos dirigir à sede SindPD/SP, diga-se de passagem, um prédio belíssimo, construído com o nosso dinheiro, para entregar aquela cartinha de Oposição à Contribuição Assistencial. E para o que ela serve ?

Para que você não seja descontado em folha de um valor que é utilizado para um fim que você desconhece, mas que só é lembrado quando rolam as intensas brigas quanto aos reajustes salarias – que por sinal não foram bem-sucedidos no último ano (bem que me disseram que as últimas duas festas de fim de ano do sindicato foram excelentes. Dinheiro bem usado….).

Segue um modelo da cartinha que nós, funcionários paulistanos de TI, teremos que preencher e levar, pessoalmente, até o SindPD/SP.

São Paulo, 06 de janeiro de 2012.

 

Ao

SINDPD

(em mãos)

 

 

REF.: CONTRIBUIÇÃO ASSISTENCIAL 2012

 

Eu, XXXXXXXX,  portador do RG: XXXXXXX e  CPF XXXXXX, e-mail ……..@hp.com, empregado da empresa HP do Brasil, inscrita no CNPJ nº 61.797.924/0035-02 , NÃO SÓCIO DO SINDPD, venho através desta exercer o direito de oposição à CONTRIBUIÇÃO ASSISTENCIAL 2012, conforme deliberação pelas ASSEMBLEIAS GERAIS EXTRAORDINÁRIAS, realizadas em 01, 02, 03, 07 e 10 de dezembro de 2011.

 

OBS: E-MAIL OBRIGATÓRIO PARA CONFIRMAÇÃO DA SUA OPOSIÇÃO 2012.

 

Atenciosamente,

 

XXXXXXXXXXXXX

RG: XXXXXXX

CPF: XXXXXXXX

Vale lembrar que a via crucis não termina aí. Eu tive que ficar na fila por mais de 2 horas para entregar essa carta na última vez que eu fiz uma visitinha ao prédio do sindicato. As filas no SindPD/SP praticamente não têm fim.

Abaixo, segue o endereço do nosso sindicato (e eu os verei por lá):

Avenida Angélica, 35 – Santa Cecília, São Paulo, SP – CEP 01227-000

Mais uma informação motivadora:

A carta de oposição não deve conter o logo da sua empresa, pois se trata de decisão e correspondência de cunho pessoal. O tempo de deslocamento até o sindicato não é considerado tempo à disposição do empregador, podendo ser compensado. Em resumo, você paga para se desfiliar do sindicato. 🙂

P.S.: Os comentários de todos os posts são e serão analisados antes de serem aprovados – pense 10 vezes antes de me xingar por eu expressar a minha opinião sobre um sindicato que poderia fazer muito mais perante aos seus afiliados, mas acredita que brigar com o sindicato patronal e dar desconto de 10% ou 30% de cursos já está bom demais.

P.S.2: Estou querendo marcar uma ida em conjunto com o Coruja de TI para entregar a cartinha e dar uns brindes para galera que estará na fila. O que acham?

Compartilhar:

Este post tem 52 comentários

  1. Eu já entreguei a minha carta de oposição. Também não quero ser obrigado a contribuir com o SindPD mais do que já somos obrigados a contribuir com qualquer outro sindicato.
    Com o passar dos anos eu percebi que vale muito a pena entregar a carta de oposição nos primeiros dias para não pegar fila. Nas vezes que eu deixei para fazer isso no final do prazo, cheguei a ficar mais de duas horas na fila do SindPD, tamanha a quantidade de gente que também vai entregar a carta. Em compensação, eu fui nesse ano logo no início do prazo e entreguei a carta em menos de 15 minutos.

  2. esse sindicato é uma vergonha, mas a idea dos brindes na fila é boa… me avisa o dia pra eu ir buscar o meu.

  3. Temos o mesmo problema com o SINDPD-PB. Todo ano é isso. Poderia ser um formulário web não é? Mas pra que facilitar para a classe? Só querem saber do dinheiro! Pior que ano passado não nos avisaram sobre a tal contribuição assistencial e fomos cobrados indevidamente. Quando recebemos o contra-cheque já era tarde d+ para solicitar a oposição. E este ano ficamos sabendo por acaso da nova CCT, nos opomos a tempo e ainda foi descontado o valor da contribuição assistencial! Um absurdo estes sindicatos! Cada um pior que o outro, não sei quem rouba +, se os políticos ou os sindicatos.

  4. É na minha empresa já é mais complicado.
    Eu posso entregar essa carta de oposição e não pagar a contribuição.
    Mas quando eu receber a PLR será descontado uma porcentagem para o sindicato, ou seja, eles criaram um jeito de OBRIGAR nós a aceitar e pagar a contribuição.
    Foda viuu!

  5. Prezados,

    Com relação a crítica à Contribuição Assistencial, o Sindicato dos Trabalhadores em Tecnologia da Informação do Estado de São Paulo tem a esclarecer o que segue:
    1- A contribuição assistencial é discutida, definida e aprovada ou não pela categoria, bem como a possibilidade e forma de se opor a ela, nas 11 assembleias realizadas pelo sindicato em todo o Estado na preparação da campanha salarial anual.
    2- Tal contribuição visa financiar os custos da campanha salarial e a luta dos trabalhadores de TI, que por sinal tem sido vitoriosa nos últimos anos, acumulando avanços significativos nas condições de trabalho. Exemplo disso são os repetidos aumentos reais nos 10 anos passados, redução da jornada para 40 horas semanais, Participação nos Lucros ou Resultados, entre outras conquistas que estão distribuídas nas mais de 75 cláusulas de nossa Convenção Coletiva, cuja classificação está entre as melhores do país.
    3- Fruto disso é que de um universo de 80 mil trabalhadores que integram nossa base, cerca de 42 mil são sócios do sindicato e menos de 10% não compreendem – ou se submetem as ordens do patrão – a importância de fortalecer a luta da categoria, assegurando estrutura financeira e política para enfrentarmos, com greves, manifestações e demais ações jurídicas e sindicais, a resistência do empresariado em distribuir uma parcela de seus lucros com os trabalhadores.
    4- Para garantir o direito do profissional se manifestar contra a contribuição, o sindicato promove ampla divulgação, publica editais, envia correspondência para todas as empresas de São Paulo, contrata mais de 50 profissionais para o atendimento, estabelece um prazo de 10 dias para a pessoa abrir mão da representação sindical, entre outras ações que buscam dar agilidade e conforto para os trabalhadores.
    5- É importante destacar que grande parte dos profissionais que se deslocam ao sindicato para este mecanismo são estimulados, orientados e até forçados pelas empresas com o claro objetivo de enfraquecer a luta do conjunto da categoria, fato que só é observado por muitos na hora em que ocorre a homologação e ele percebe que sua única defesa encontra-se na estrutura financiada e mantida por seus colegas que adquiriram a consciência da importância da união e da solidariedade, muitas vezes negada pelo chefe na hora de uma dificuldade familiar, mas prontamente atendida quando a empresa o dispensa para se opor ao sindicato.

    Sem mais,

    Antonio Neto
    Presidente do Sindpd

  6. Caro Sr. Antonio Neto

    Me desculpe, sou profissional da área de Informática/TI há mais de 30 anos, quando ainda praticamente não existia movimento sindical no País (o Sindpd certamente não), e já na época trabalhava 40 horas semanas (ou seja, essa não é uma conquista do Sindpd). Na época em que trabalhava no Unibanco participei de greves e movimentos salarias e de reinvidicações diversas vezes, organizados na época pelo Lula, Guchiken, etc., quando ainda não existia o Sindpd (ou estava em criação). O que sei é que desde que o Sindpd foi criado eu nunca recebi os benefícios citados em seu comentário, tais como PLR. Aliás eu nem sei quais são os outros benefícios que foram conseguidos pelo Sindpd, e tambem nunca vi nenhum movimentos reinvidicatórios organizado pelo mesmo.
    Outro ponto importante: se existe um movimento por parte das empresas de estimular a entrega das cartas (o que na minha opinião é uma inverdade, pois isso é proibido por lei), tambem existe um incentivo por parte do Sindpd em desestimular a entrega da carta, haja visto que os prazos são sempre divulgados “em cima da hora”, e aí as filas são intermináveis.
    Independente disso, eu entregarei a minha carta, pois não acho justo contribuir com algo que nunca trouxe nenhum benefício profissional a grande parte da comunidade de trabalhadores de TI.

    Abraços

    Wilson

  7. Caro Sr. Antonio Neto.
    Sou profissional da área de informática há mais de 30 anos, desde a época em que praticamente não existia movimento sindical, o Sindpd certamente não.
    Participei de inúmeras greves, movimentos de reinvidicações e mobilizações, na época organizados pelo Lula (que ainda era uma pessoa de luta pelos trabalhadores), Gushiken, etc., quando trabalhava no Unibanco (CAU). E já nessa época eu já trabalhava 40 horas semanais e recebia o PLR, que era conhecido como 14º. Salário. O mesmo acontecia com diversos amigos e colegas que trabalhavam em outras empresas e/ou setores. Ou seja, nenhuma dessas conquistas é do Sindpd.
    Na minha visão o Sindpd em pouco contribui para a classe dos profissionais de TI: eu não me lembro de ter recebido nenhum benefício originado por algum movimento organizado por essa entidade. Aliás, eu sequer conheço a lista de benefícios conseguidos pelo Sindpd, e tenho certeza que a grande maioria dos profissionais de TI também não conhece. Muito pelo contrario, O Sindpd só se faz lembrar nessa época, quando existe o interesse financeiro em “financiar” os que nele trabalham. Gostaria de saber o que o Sindpd fez quando foi instituído esse verdadeiro assalto que é o tal do CLT Flex. Certamente concordou com quem propôs essa pratica absurda.
    Com relação a sua afirmação de que “grande parte dos profissionais que se deslocam ao sindicato para este mecanismo são estimulados, orientados e até forçados pelas empresas com o claro objetivo de enfraquecer a luta do conjunto da categoria”, me parece uma inverdade, pois alem de ser contra a lei eu nunca recebi esse tipo de incentivo dos locais em que trabalhei (e por favor não venha com frases do tipo a radio pião criada pela própria empresa, etc.). Na verdade existe um grande estimulo do próprio SINDPD em evitar que os profissionais entreguem as cartas de oposição pois me desculpe, estabelecer um prazo de 10 dias para uma cidade como São Paulo é absolutamente impraticável. Sem contar que muitas empresas não permitem ausência para esse tipo de atividade, obrigando o funcionário a compensar e/ou descontar as horas (essa não deveria ser uma conquista do Sindpd???).
    Enfim, vou entregar a minha carta de oposição pois não me sinto confortável em financiar um movimento do qual eu nunca recebi nenhum benefício.
    Abraços

    Wilson

  8. Até quando podemos entregar a carta de oposição?

  9. Bom dia,

    estou me preparando psicológicamente para entregar a tal cartinha.

    Se o Sindicato acredita que tem tantos beneficios deveria CONQUISTAR seus filiados e não tratá-los como REFÉNS, obrigando-nos em data específica (onde muitos estão de férias) enfrentar filas quilométricas sem falar na falta de educação dos funcionários.

    Sem contar que ano passado quando uma colega precisou utilizar o banheiro, da construção faraônica feita com nosso dinheiro, não foi permitida sequer a entrada dela no nababesco recinto.

    Além da vergonha de um sindicato que se diz ‘processamento de dados’ nos dias de hoje de internet, 3G, solicitar uma cartinha a ser entregue pessoalmente. RIDÍCULO.

    Sem mais.

  10. O pior é ser do sindicatão ….pelo menos vocês trabalham 40 horas semanais e nos do tal sindicatão que trabalhamos 44horas semanais e ainda temos que levar o celular para casa ficando disponível para a empresa por 24 horas sem sobre aviso, hora extra

  11. Até 2010 “meu” sindicato era o dos Radialistas de RJ, que permitia a entrega das cartas em lotes, um funcionário do RH levava as cartas do departamento inteiro, e tínhamos 30 dias para efetuar a tal “oposição”.
    Em 2011, passei a “ser” do SindPD-SP. Quanta burocracia para a oposição. Sem contar que quando fui contratado, já havia passado o período de oposição, então fui compulsoriamente descontado todo mês. Vergonhoso.

  12. Aqui na Paraíba é como o Magno Logan falou, total violação do Art. 545 da CLT. Acho que o único jeito é entrar com uma ação judicial, aí eu quero ver se a coisa não muda.

  13. Caro companheiros!

    Se esse sindicato fosse bom mesmo quanto o seu presidente alega, não havia tantas pessoas solicitando oposição, perdi duas horas de trabalho para me deslocar na Av Angelia em São Paulo, debaixo daquelo sol escaldante só para entregar essa tal cartinha. Isso é um absurdo em plena era digital. Na vardade o intuíto desse sindicato é dificultar a vida do trabalhador para que paguamos essa contribuição . Lamentável!

    Ricardo Lima

  14. Sr. Wilson,

    Do que adianta acordar em uma convenção anual algo que não é aplicado ao dia a dia … algo que é forçado o funcionário a assinar mensalmente para a empresa não ter ser processada?

    O sindicato briga por algo ao qual não acompanha se esta sendo aplicado ou não.

    E nos últimos anos não foram de sucesso, pois a única coisa que procuramos e brigamos é um dissidio anual correspondente a qual merecemos.
    No ultimo ano foi proposto 15% de dissidio … e foi fechado por menos da metade disso …
    Onde esta sendo aplicado com sucesso essas contribuições mensais?

    Obrigado.

  15. kkkkk. Trabalho com TI em uma empresa de respeito….Mas, todo ano nossa equipe vai em peso pro nosso sindicato que no caso é do comércio, (meio do ano), pra levar a tal cartinha. No nosso caso virou motivo de festa, a gente aproveita pra fazer uma farrinha do TI. O povo contratado não precisa só os CLTs. A empresa inteira entrega a carta, no Brasil tem esta história de sindicato que não serve pra nada e fatura milhões. Ainda bem que o povo tá acordando e levando estas cartas… vocês precisam ver a cara de má vontade dos funcionários do sindicato. É isto aí vamos garantir nossos direitos e sem nenhuma máfia obscura enchendo o saco.

  16. Tive uma perda auditiva , irreversível que não mais se recupera que é permanente ,ajustando -se assim no conceito de acidente de trabalho definido no art.19 da lei 8.213/91.Trata-se de ¨pertubação funcional do orgão auditivo. A pericia medica solicitou o cat (comunicado de acidente de trabalho) porem a empresa negou em fazer, fui ate o sindicato s i n d p d que falou que tambem não iria fazer pelo motivo que não contribui com o sindp no ano passado 2011 a não ser que eu pagasse os atrasados , aquele valor que não contribui nos anos anteriores.Infelizmente não tive ajuda do sindicato o qual eu mesma tive que fazer e enviar ao inss. N o s s a q u e d e s c a so quanta falta de competencia.!!!!!!!

  17. O problema não é nem a cartinha de oposição.

    Mas a CORRUPÇÃO que assola este sindicato.

    Vejam isto aqui e DIVULGUEM, e cobrem explicação do *Senhor Presidente Eterno”, que está lá a 23 anos, e quer ficar mais 4 !!!!

    http://www.slideshare.net/TheAnonymals/sindpd

  18. Gostaria de vir por meio deste blog pedir uma ajuda para um dos leitores, em específico para o leitor The anonymals.
    Sou um aluno da Universidade Anhanguera e juntamente com muitos outros alunos estamos com um problema, tivemos um professor que ocupava a cadeira docente da Universidade, porém foi constatado que o mesmo teria falsificado seu diploma de curso superior da USP, onde o mesmo dizia ser Fisico. Agora eu e todos os outros alunos formados podemos perder nosso certificado de conclusão de curso devido a este ato do fajuto professor em questão.
    Gostaria da sua ajuda The anonymals, pois pode-se ver o tamanho da sua vontade por justiça, e sabe-se que voce tem um grupo muito grande e de pessoas altamente qualificadas tanto na política, como advogados de alta capacidade entre outros.
    Além da Falsificação do diploma de curso superior, estamos batalhando para provar que as certificações que esta pessoa possui, foram todas ´´Sabotadas“.
    Assim como voce The anonymals, eu e meus colegas também queremos justiça, pois não é correto prejudicar pessoas por atos de outras.

    JUSTIÇA JÁ!!!! E se alguem mais puder ajudar fico grato!

  19. Boa tarde The anonymals, também fui estudante da Universidade Anhanguera e estou no mesmo caso… Tenho uma informação nova para passar para voces!!!!

    Esse estelionatário é um ex-funcionário do SINDPD, porém não tenho mais informações sobre.
    Se voce tiver alguma informação que possa nos ajudar em relação a este caso, tendo visto que voce aparentemente conhece bem as coisas que acontecem no SINDPD, pois além de a Universidade querer tirar nosso diploma, não querem fazer nenhuma devolução do valor pago por nós alunos ao longo do curso.

  20. Hummmm, estranho esta afirmação feita pelo amigo “oculto”. O mais estranho é que procurando na internet o mesmo texto existe em alguns sites, com o mesmo teor, e também com os mesmos erros de digitação, realizados sem dúvida, por alguém que não deve ser da área de TI.

    Bom, deixe-me apresentar, fui aluno do Sr. Dalton Gerth, no curso de CComputação na própria Anhanguera, e me formei no ano passado, nada disto me ocorreu. Entrei em contato com alguns amigos meus, que também já se formaram, e que também foram alunos dele, e nada também ocorreu.

    Olhando nos trackbacks de alguns sites postados, que permite tal informação, encontrei a origem, ou seja, de onde veio um dos textos. E surpreendentemente, vi que a origem era do sindpd ?!?!?!???!

    Ou seja, não sei se o Dalton ainda está no sindpd, porém, ao digitar sindpd no Youtube, o primeiro vídeo é uma paródia dos últimos dias de Hitler, onde é clara o nível de corrupção existente neste sindicato, que, diz que, representa a minha área !!!

    Percebi que havia algo de podre neste reino e pesquisei as palavras SINDPD + MPF, também no Google, que me redirecionou a um site do slideshare, onde o sindpd, foi atuado pelo Ministério Público Federal em mais de R$ 26.000.000,00 (Vinte e Seis Milhões de Reais!), isto mesmo, o valor é muito grande!

    Não quero levantar falsos testemunhos por aqui, porque nao sou advogado, sou ainda um simples desenvolvedor, formano na Universidade Anhanguera, mas vamos lá as questões :

    -> Um vídeo do youtube, mostrando a corrupção ;
    -> Um documento em um site, com provas do desvio de mais de 26 milhões de reais, dos cofres públicos, onde o sindpd está envolvido ;
    -> Logo após isto, um trackback do próprio sindpd, tentando denegrir a imagem do Dalton.

    Para quem tem discernimento, devemos saber o que está havendo.

    Acredito que logo logo, teremos novidades.

    Abraços a todos

    Pedro Soares de Silva e Souza
    pedroa.soares@yahoo.com.br

  21. EHEHEH.

    Realmente é alguém que, além de não ter criatividade de utilizar um novo nome, sequer alterou os dois comentários acima, deixando mesmo nome “The Anonymals”.

    Também, quem trabalha no sindpd, e que tem apenas a função de desviar valores para sua própria conta, e que sequer trabalhou na área de TI, não dá para se esperar muita coisa não.

    Bom, o verdadeiro The Anonymals, está postando agora aqui.

    E ademais, se você não se contenta em trabalhar arduamente, enquanto munhas pessoas do seu “sindicato” (leia-se SINDPD), que diz que o representa, ficarem cada vez mais ricas, então diga simplesmente NÂO a estes parasitas.

    Para terminar, a cobrança que o sindpd fazia era ILEGAL, ou seja, eles cobravam valores para fazerem a HOMOLOGAÇÃO do próprio trabalhador.

    http://noticias.r7.com/economia/noticias/sindicato-e-proibido-de-cobrar-para-homologar-rescisoes-de-contrato-20120409.html

    Realmente, quando a falta de caráter e o único instinto de ficar cada vez mais rico aflora a um ser humano, ele sequer pode ser considerado “Gente”.

    FOra a estes corruptos, fora a estes parasitas.

    Vamos colocar no sindpd, quem pelo menos é da área de TI.

    The Anonymals
    anonymals@mail.md

  22. Com essas reclamações e as informações dadas, estou no mesmo barco. Em minha admissão na empresa a mais de 1 ano tive que me associar, porém em janeiro fui pedir a desfiliação e a informação que tive era que somente em dezembro conseguiria isso. Então tenho que ficar mais um ano dando dinheiro para os ladrões.. Mas existe algum modo de realizar a desfiliação?

  23. PESSOAL ONTEM SAIU UMA MATERIA ENORME SOBRE A CORRUPCAO DO SINDPD, E HOJE REPETIU VARIAS VEZES, MOSTROU PROVAS DE DESVIO MILIONARIO DE DINHEIRO FEITO PELO ANTONIO NETO E PELO SOBRINHO DELE QUE E DIRETOR DO SINDPD.

  24. tudo bem, vc tem como passar o link para que possamos publicar – Transparência sempre, principalmente quando envolve o nosso dinheiro.

  25. Segue texto de esclarecimento sobre a reportagem e a aprovação da contratação de uma auditoria externa para analisar as contas do Sindpd. Quem não deve não teme:

    Reportagem Record: Nota de esclarecimento do Sindpd

    Com relação às calúnias divulgadas na noite desta terça-feira (17) pelo “Jornal da Record”, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Tecnologia da Informação do Estado de São Paulo esclarece:

    1- Lamentavelmente, ficou claro que um dos objetivos da matéria é alimentar uma campanha em curso para enfraquecer os sindicatos e acabar com a contribuição sindical, recurso indispensável para a sustentação da luta dos trabalhadores e a melhoria de suas condições de vida;

    2- A contribuição permite que as entidades sindicais tenham estrutura para enfrentar a pressão constante do capital em busca da redução de direitos. Com organização e muito trabalho, o Sindpd conquistou uma das mais avançadas convenções coletivas do país, com jornada de trabalho de 40 horas, aumentos reais de salário, PLR, Vale Refeição, Hora Extra de até 100%, além de outros benefícios oferecidos à categoria;

    3- Os aportes dos trabalhadores em tecnologia da informação são geridos com extrema seriedade, sustentam uma estrutura com 11 unidades espalhadas pelo Estado, um renomado corpo jurídico, dezenas de funcionários e inúmeros benefícios de lazer e saúde aos associados;

    4- A Presidência do Sindpd ou o sindicato NÃO são alvo de investigação do Ministério Público Federal, mas sim vítimas de sórdida trama difamatória, visando o linchamento da minha honra e reputação, através de mentiras, calúnias e ilações;

    5- Não recebemos recursos federais ou públicos e os números apresentados pela reportagem são distorcidos e majorados, da mesma forma que a denúncia é fundada em ligações fantasiosas, projeções descabidas e dados mentirosos, tal como o seu autor;

    6- A matéria veiculada pela Rede Record foi embasada por denúncias vazias do senhor Dalton José Gerth, ex-funcionário do sindicato, demitido por ter sido pego fraudando testes de certificação.

    7- Logo após o seu desligamento, em fevereiro de 2011, diretores da entidade passaram a receber e-mails anônimos com ameaças e chantagens, cujo conteúdo é o mesmo que sustentou a matéria. Por se tratar de mentiras e montagens grosseiras, o Diretor de Educação do Sindpd, Emerson Morresi, principal alvo das ameaças, requereu abertura de inquérito para apurar seus autores;

    8- O referido procedimento, em curso há mais de seis meses, culminou com a descoberta de que o Senhor Dalton José Gerth não apenas fraudava testes de certificação, mas também praticava os crimes de falsidade ideológica por se apresentar como graduado em Física pela USP e Ciência de Computação na UNIP, exercendo a função de professor universitário na Faculdade Anhanguera sem estar legalmente apto, sem ter diploma de formação superior. Não bastassem todas as mentiras, o fraudador ainda responde um inquérito por homicídio. É esse tipo de pessoa que está me atacando;

    9- As disputas políticas iniciadas no ano passado na antiga central que o Sindpd era filiado e a proximidade das eleições internas uniram o senhor Dalton José Gerth a um grupo partidário que almeja se apoderar do sindicato em conluio com setores do patronato;

    10- Procurado pelo repórter Vinicius Costa, buscamos informá-lo sobre os fatos e tentamos reiteradas vezes saber quais eram as supostas acusações para apresentarmos contestações concretas. Sem sucesso, entramos em contato com a produção da matéria, esclarecendo ponto por ponto. Em determinado momento do dia, um e-mail do senhor Dalton José Gerth endereçado aos jornalistas que produziam a matéria chegou ao conhecimento do sindicato. No referido e-mail, o ex-funcionário do Sindpd cobrava dos jornalistas a divulgação da reportagem. O e-mail só chegou ao conhecimento da diretoria do sindicato porque o remetente fez questão de repassá-lo para um diretor do Sindpd, que há muito vem atuando sorrateiramente com o senhor Dalton;

    11- A mente pervertida do senhor Dalton chegou a induzir o repórter a acreditar que a filha do mesmo estaria sofrendo ameaças. Contudo, como se pode verificar nos e-mails até pouco tempo anônimos, quem ameaçou a integridade física dos filhos do diretor Emerson Morresi ou tentou me chantagear e extorquir foi o autor das calúnias. Em 22 de novembro de 2011, o diretor do Sindpd recebeu mensagem ameaçadora, que encerrava com a seguinte mensagem: “A vida não é toda ruim para você, hoje vi seus filhos na escola, eles são lindos”. Dois dias depois, em e-mail endereçado a mim, o mesmo autor das “denúncias”, afirma: “Sabe, seu Neto, estamos gastando muito $$$, só para o senhor saber aonde isso vai chegar, já contatamos toda a imprensa escrita e televisiva (Globo, SBT, Record, Revista Veja, Isto è, Exame, Carta Capital, Jornal Folha de São Paulo, Diário de São Paulo, Estadão e Hora do Povo, que por sinal abraçou nossa causa) (…) “Vou precisar que o senhor ajude algumas pessoas necessitadas, mais para frente digo como, quando e quanto”;

    12- Portanto, não é verdade, assim como o próprio conteúdo da matéria, que me neguei a prestar esclarecimentos. Simplesmente eles não foram levados em consideração pela reportagem como determina as regras do jornalismo transparente e isento. Refuto veementemente todas as acusações e tomarei todas as medidas jurídicas e criminais cabíveis para conquistar o direito de resposta, o justo e elementar direito de defesa, que me foi negado, apesar de insistentes apelos;

    13- Além disso, embora todos dados orçamentários do Sindpd estejam disponíveis no site, são submetidos à aprovação e análise dos associados, reunirei a diretoria para propor a contratação de uma auditoria externa para analisar minuciosamente todas as contas do Sindpd e não deixar dúvidas sobre a probidade desta diretoria, que preza pela lisura e muitos serviços tem prestado à categoria e ao setor de tecnologia da informação;

    14- Não mediremos esforços para trazer a verdade à tona e rechaçar, uma a uma, as mentiras propaladas. Não nos submeteremos à chantagem, lutaremos com todas as nossas forças para defender a nossa história e nossa dignidade.

    São Paulo, 18 de abril de 2012.

    Antonio Neto

    Diretoria aceita proposta do presidente de contratação de auditoria externa

    Para reiterar transparência, Sindpd disponibiliza suas contas para analise

    Diante das denúncias infundadas que foram veiculadas por matéria do Jornal da Record, uma reunião extraordinária da diretoria executiva do Sindpd foi convocada para a tarde de hoje (18 de abril). Durante o encontro foi aprovada por unanimidade a proposta do presidente do Sindpd, Antonio Neto, de contratar uma empresa externa de auditoria para analisar as contas do sindicato.

    A assessoria de comunicação do Sindpd entrou em contato com os jornalistas que produziam a reportagem e apresentou um extenso material que não foi levado em consideração. Após a divulgação da matéria uma nota de esclarecimentos foi postada no site do Sindpd e o departamento jurídico do sindicato está acompanhando o caso.

    A organização dos trabalhadores em torno dos sindicatos é indispensável para enfrentar a pressão do capital em busca da redução de direitos. Com organização e seriedade, o Sindpd conquistou uma das mais avançadas convenções coletivas do país, com jornada de trabalho de 40 horas, aumentos reais de salário, PLR, Vale Refeição, Hora Extra de até 100%, além de outros benefícios oferecidos à categoria.

    Na nota de esclarecimento o presidente do Sindpd reitera a lisura da diretoria. “Não mediremos esforços para trazer a verdade à tona e rechaçar, uma a uma, as mentiras propaladas. Não nos submeteremos à chantagem, lutaremos com todas as nossas forças para defender a nossa história”.

  26. Olá,
    Fui registrada em Abril/2012, posso levar a carta de oposição referente a Contribuição Assistencial 2012 no Sindpd? Ainda é possível fazer a oposição?

  27. Vc precisa se informar com o pessoal do sindicato quanto a isso.

  28. Galera não é obrigação levar qualquer tipo de carta ao sindicato para que não seja descontado na folha referente a contribuição, pois na lei diz que é opcional, sendo assim, não é necessário que essa carta seja entregue. Se descontar é só recorrer, pq sem sua autorização de desconto fica sendo algo ilegal. Só procurar algumas jurisprudência referente a isso que vcs acham.

    Abç

  29. Kleyton, a contribuição consta em CCT no qual tem prazo para se opor. Não é assim como você pensa.

  30. Alias, os direitos que vocês tem, tais como cesta básica, PLR, café da manhã e tarde, etc são advindos da Convenção Coletiva de Trabalho, e o aumento que vocês recebem também…… ou vcs acham que as empresas fornecem isso pq são boazinhas. Acordem e veja quem realmente está do seu lado.

  31. A questão é que não me filiei a nenhum sindicato, claro que nem todas as empresas são “boazinhas”, mas vai de vc querer trabalhar nela e se não esta satisfeito procure outra.

  32. caro Sr. Antonio Neto
    É uma vergonha aceitar um reajuste de 7,5% teria que ser no minimo 30% só para fazer uma cosquinha e acompanhar a inflação real, mais a verdade que o sindpd é mais sindicatos das empresas do que dos funcionarios, é eu tenho o sisdicato como inimigo e quero distancia de vcs eu fico até 10 horas na fila com chuva ou com sol, mais entrego a carta de oposição todo ano.

  33. 2013 chegou, e com ele a hora de levar a carta ao SINDPD.
    Revoltante isso.
    🙁

  34. Que dia que você ira ?

    Quero lhe agradecer pessoalmente por esse serviço de utilidade publica em relação ao sindiporcaria (SINDPD)

  35. Concordo totalmente com o que o Wilson escreveu. As empresas estão aí, contratando funcionários como PJ, CLT Flex, exigindo horas extras e trabalhos aos finais de semana, pagando uma miséria, zero de benefícios e o sindpd não faz nada! Mas na hora de cobrar contribuição assistencial eles são muito rápidos.
    A empresa onde trabalho nunca divulga as datas para entrega da carta de oposição. Sou eu que todo ano fico de olho e aviso o pessoal. Piada!
    Ano passado deram 90 dias para as empresas começarem as negociações sobre o PLR. Já se passou um ano e até agora não ouvimos falar nada a esse respeito, nem por parte da empresa nem por parte do sindicato. Quando fui contratado, há quase 2 anos, a empresa falou que estava implantando o PLR… Palhaçada pura.
    Como disse uma outra pessoa nos comentários, os sindicatos trabalham com as empresas (ele só esqueceu de mencionar que quem paga as contas somos nós).
    E é por isso que eu me oponho e continuarei a me opor a esse abuso de poder.

  36. É um absurdo essa ditadura do sindicato!!

    Este ano o sindicato SINDPD (exercício 2013), EXIGE que seja entregue pessoalmente em duas vias entre o período de 09.01.13 a 18.01.13 de segunda a sábado das 9h00 às 18h00 no SINDP – Av. Angélica, 35 – Santa Cecília – São Paulo/SP.
    Caso não ocorra a manifestação da oposição, a partir de Janeiro de 2013 será efetuado o desconto no demonstrativo de pagamento mensal.

  37. Os colaboradores da minha empresa disseram que para os que levarem a Carta de Oposição será descontado um valor da PLR que equilave a este desconto de 1% ao mês.
    Não achei isso na CCT2012/2013, como tiro isso a limpo?
    Obrigada.

  38. De: Marilene White Paim [mailto:Marilene.Paim@sindpd.org.br]
    Enviada em: quarta-feira, 9 de janeiro de 2013 08:39
    Assunto: RES: Dúvida sobre Oposição

    Bom dia, referente sua solicitação informamos que há desconto da PLR, para quem não contribui isto decido em assembleias. Portanto quem se opõe ao Sindicato haverá o respectivo desconto.

    Marilene White Paim

  39. Fui ao SindPD-SP hoje, levei a cartinha!!

    E cuidado ao fotografar o local, eles não gostam, são bem truculentos, muito mal educados.

    A fila estava gigante, deu voltas ao quarteirão, mas até que não demorei tanto. Foram 30 minutos de espera, são umas 30 pessoas para protocolar a carta.

    Missão cumprida!!!

  40. Carta de Oposição
    09.JAN a 18.JAN das 9h às 17h
    SINDP-SP: av Angélica, 35 – Santa Cecília – São Paulo.

  41. Apenas um Número

    Senhor Antonio Neto, com todo respeito, não faço parte do que você define com o seu termo categoria. Mas infelizmente, a Legislação Brasileira e Vossa Senhoria do Sindicato – SINDPD, infelizmente, me incluem *sem a minha autorização* por escrito e devidamente assinada.

    Graças a Deus não dependo do SINDPD para nada! Sequer para pedir aumento ou exigir qualquer benefício com a empresa. Por isso não queria que me incluissem.

    Desta forma não precisa obrigar a empresa a me dar o dissídio anual, porque vejo a minha empregabilidade como um negócio qualquer. Acho que tenho esse direito. Todos aumentos reais que consegui até hoje, foi pela minha luta solitária. Não dependo dos 7% anuais que vocês tanto lutam arduamente. Assim evitaremos esforços desnecessários, correto? Vocês não precisam lutar pelo que me dizem diretos da categoria e eu não luto arduamente por ter que levar essa carta de oposição. Evitamos, ambos uma coisa que denomino de minha parte: minha humilhação.

    Para mim é humilhante ter que ir pessoalmente, dar o prazer a vocês de entregar uma carta, para me opor a uma causa ou categoria que não faço parte. Tenho direito de não fazer parte?

    Vossa senhoria pode me ajudar, como devo proceder para nunca sequer ter que ir até esse edifício da categoria, que dizem que faço parte? Para me excluirem dessa categoria? Para não ser obrigada a ser filiada a um sindicato?

    Assim continuarei para vossa senhoria e para a empresa apenas um número. Mas desta vez quero escolher o número. Quero ser: -1 (menos um).
    Em vez de 80 mil trabalhadores, seria agora 79999.

    Seria possível os senhores me entregar a resposta assinada por escrito em minha casa? Fica cerca de 45KM do sindicato. Só que na minha casa, o senhor será recebido com um café, biscoitos e sem filas.

    Adoremos o Smo. Sacramento!
    Ana Paula

  42. Pessoal, recebi da minha empresa o PLR mas o SINDPD desconta 240 reais de TODOS que recebem o PLR. Alguém sabe me dizer aonde em lei está escrito que este desconto é legal??

  43. Olha, acho que precisa olhar por ambos os lados. Que existe a politica de sindicalismo à força não tenho dúvida. Que existe coisas erradas no sindicalismo também não tenho dúvidas. Mas acompanhei uma experiência que me levou a repensar ser ou não filiado a um sindicato. No caso foi o SindPD mesmo. Um amigo meu, velho de casa na Sun e depois Oracle foi demitido por pura perseguição por ter sido oriundo de uma empresa comprada. A oracle é tipica disso mesmo… se vc sonha em trabalhar um dia lá, pense 2 vezes pois 90% de seus funcionários não completam 2 anos lá… Bem, em frente…. este amigo não era sócio do sindicato e nunca pagou a tal contribuição assistencial..só pagava o que era lei e descontado em folha…. ao saber do caso, no dia da homologacao la mesmo na av. angelica, uma pessoa do SindPD sugeriu uma consulta juridica, pois aparentemente estava tudo errado… As contas da demissao estavam erradas, os motivos alegados para a demissao levavam a uma acao trabalhista imensa e o SindPD apoiou essa pessoa ate o fim…sem precisar ser sócio. Depois de algum tempo, encontrei esse amigo que me disse que tinha ganho um baita dinheiro – de maneira legal e juridicamente correta – em uma acao contra a Oracel. Ou seja, o apoio aconteceu mesmo sem nenhum vinculo do profissional com o SindPD. Depois disso, ele arrumou emprego, filiou-se ao SIndPD..coisa de 10 reais por mes e certamente é um dinheiro tipo “seguro” que vale a pena gastar para uma eventualidade como essa… Adicionalmente, descobri que é possivel vc contratar uma Assistencia Plano Medico se vc for sócio de um Sindicato…ou seja, quando somos demitidos devemos lembrar que ficamos “pelados” … e o apoio corporativo de um plano medico, seguro de vida e outros beneficios tambem acabam… pensem nisso tambem, pois é facil a gente criticar (motivos nao faltam para isso)… mas as vezes o bom senso e pensamento frio levam a gente a investir um valor que nao vai matar ninguem e pode ajudar bastante no futuro. Abcs a todos

  44. O que eu acho absurdo é que mesmo vc estando na mesma Empresa a anos vc tem de levar todo ano a mesma carta no Sindicato declarando a sua não autorização para o desconto, pois eles te obrigam a colocar no final do texto o ano corrente. A lógica seria vc levar novamente a carta em caso de ter trocado de Empresa correto? Acredito que eles usam de má fé para cansar o trabalhador e conseguir que ele desista de fazer e levar a carta…. Isso sim é Ridículo…

Deixe uma resposta

Fechar Menu